icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
15/06/2014
08:35

O que fazer com Jobson? É o que se perguntam os dirigentes do Botafogo. Ainda há quem sonhe com mais uma chance para o jogador, algo difícil de acontecer. Encontrar um clube para emprestá-lo é tarefa cada vez mais difícil, após os fracassos recentes. E o garoto que surgiu cheio de talento, em 2009, virou um fardo cada vez mais pesado para o Glorioso.

O presidente Mauricio Assumpção declarou em entrevista recente que todas as chances já foram dadas a Jobson. Mas, internamente, já há quem defenda uma mudança de posicionamento, até porque o clube não tem dinheiro para ir ao mercado e contratar. Mesmo assim, as chances de isso acontecer parecem ser mínimas. O atacante tem contrato com o Botafogo até dezembro de 2015.

Enquanto isso, os representantes de Jobson aguardam por uma posição da diretoria alvinegra, ainda com esperança de uma possível reintegração. O jogador também ainda mantém esperança de voltar a vestir a camisa botafoguense. Conversas deverão ocorrer durante a semana para tentar definir o futuro dele.

A saída encontrada pelo Botafogo em outros momentos foi o emprésti-mo. Após Jobson ter sido flagrado no exame antidoping por uso de drogas, e posteriormente ter apresentado alguns casos de indisciplina no clube, o jogador, desde 2010, passou por Atlético Mineiro, Bahia, Barueri, São Caetano e neste ano estava no Al-Ittihad (ARA). Mas não conseguiu se firmar em lugar algum e teve problemas extracampo.

Atualmente, porém, com muitas portas fechadas após seguidos fracassos, o cenário é bem mais complicado para o Alvinegro encontrar um novo destino para o atacante.

Características que o Botafogo busca

O retorno ao time é algo bastante difícil, mas há quem ainda defenda a utilização de Jobson por ele ter as características que o técnico Vagner Mancini deseja e que a diretoria tem procurado no mercado, mas com dificuldades financeiras para viabilizar: um atacante de velocidade.

Os dirigentes já tentaram, por exemplo, a contratação de Jorge Henrique, por empréstimo, mas o Internacional não liberou. Outros nomes foram especulados, como Neto Berola, do Atlético-MG, mas as negociações não tiveram continuidade.