icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
15/07/2013
16:43

O Espanyol (ESP) está mesmo disposto a investir para contratar o atacante Samuel, do Fluminense. Depois de ter feito uma primeira proposta de cerca de R$ 7,2 milhões pelo atacante, o clube catalão armou uma nova oferta e passou para o empresário do atacante, Gérson Oldelburg, que prontamente marcou uma reunião com o diretor executivo do Tricolor, Rodrigo Caetano, na quarta-feira pela tarde. Assim, o agente irá apresentar a nova oferta dos espanhóis, que gira em torno de R$ 11 milhões.

O Fluminense, por enquanto, garante que não quer se desfazer do camisa 31, reserva imediato de Fred e com contrato recém-renovado até o fim de 2016. Mesmo assim, a reunião foi marcada pelo empresário do jogador, para apresentar os valores do negócio, que pode ser visto com bons olhos pela diretoria, já que o Tricolor vive uma crise financeira.

- Uma proposta é uma proposta. Marcamos esta reunião na quarta-feira para apresentar o que os espanhóis querem e pretendem com o Samuel. A primeira oferta foi negada e eles apresentaram novos valores, que não posso adiantar nem falar sobre. Mesmo assim, vamos conversar com a diretoria e ver o que será resolvido - disse Gérson Oldenburg.

Enquanto o empresário do atacante mostra um pouco de otimismo, a diretoria do Fluminense segue mantendo o discurso que não pretende se desfazer do atacante e de mais nenhum jogador.

- Já negociamos quem tínhamos que negociar. Recebemos sondagens pelo Samuel, mas o clube não pretende se desfazer do jogador e não tem interesse de nada relacionado a ele agora - afirmou o diretor executivo, Rodrigo Caetano.

Antes do Espanyol, pessoas ligadas a clubes do Leste Europeu apresentaram algumas propostas pelo jogador, porém, também não aceitas pelo Fluminense. Além disso, os valores apresentados pelo Tricolor assustaram os interessados. Com a saída de Rafael Moura, no meio do ano passado, Samuel ganhou espaço e a vaga de reserva imediato de Fred. A negociação de Moura, inclusive, deveu-se ao bom momento vivido pelo garoto.

O que pode pesar para a negociação se concretizar é a vontade do jogador. Mesmo estando com moral com a diretoria e com o técnico Abel Braga, Samuel vê com bons olhos uma negociação para o futebol espanhol, por se tratar de um grande centro europeu. As primeiras sondagens do Leste Europeu não agradaram ao camisa 31.

Caso a diretoria mude de ideia e aceite liberar Samuel, o Fluminense terá direito a R$ 5,5 milhões pela transação, já que detém 50% dos direitos econômicos do atleta. Os outros 40%, cerca de R$ 4,5 milhões são do empresário do jogador, sobrando 10%, cerca de R$ 1 milhão, para a Unimed, parceira e patrocinadora do clube.




O Espanyol (ESP) está mesmo disposto a investir para contratar o atacante Samuel, do Fluminense. Depois de ter feito uma primeira proposta de cerca de R$ 7,2 milhões pelo atacante, o clube catalão armou uma nova oferta e passou para o empresário do atacante, Gérson Oldelburg, que prontamente marcou uma reunião com o diretor executivo do Tricolor, Rodrigo Caetano, na quarta-feira pela tarde. Assim, o agente irá apresentar a nova oferta dos espanhóis, que gira em torno de R$ 11 milhões.

O Fluminense, por enquanto, garante que não quer se desfazer do camisa 31, reserva imediato de Fred e com contrato recém-renovado até o fim de 2016. Mesmo assim, a reunião foi marcada pelo empresário do jogador, para apresentar os valores do negócio, que pode ser visto com bons olhos pela diretoria, já que o Tricolor vive uma crise financeira.

- Uma proposta é uma proposta. Marcamos esta reunião na quarta-feira para apresentar o que os espanhóis querem e pretendem com o Samuel. A primeira oferta foi negada e eles apresentaram novos valores, que não posso adiantar nem falar sobre. Mesmo assim, vamos conversar com a diretoria e ver o que será resolvido - disse Gérson Oldenburg.

Enquanto o empresário do atacante mostra um pouco de otimismo, a diretoria do Fluminense segue mantendo o discurso que não pretende se desfazer do atacante e de mais nenhum jogador.

- Já negociamos quem tínhamos que negociar. Recebemos sondagens pelo Samuel, mas o clube não pretende se desfazer do jogador e não tem interesse de nada relacionado a ele agora - afirmou o diretor executivo, Rodrigo Caetano.

Antes do Espanyol, pessoas ligadas a clubes do Leste Europeu apresentaram algumas propostas pelo jogador, porém, também não aceitas pelo Fluminense. Além disso, os valores apresentados pelo Tricolor assustaram os interessados. Com a saída de Rafael Moura, no meio do ano passado, Samuel ganhou espaço e a vaga de reserva imediato de Fred. A negociação de Moura, inclusive, deveu-se ao bom momento vivido pelo garoto.

O que pode pesar para a negociação se concretizar é a vontade do jogador. Mesmo estando com moral com a diretoria e com o técnico Abel Braga, Samuel vê com bons olhos uma negociação para o futebol espanhol, por se tratar de um grande centro europeu. As primeiras sondagens do Leste Europeu não agradaram ao camisa 31.

Caso a diretoria mude de ideia e aceite liberar Samuel, o Fluminense terá direito a R$ 5,5 milhões pela transação, já que detém 50% dos direitos econômicos do atleta. Os outros 40%, cerca de R$ 4,5 milhões são do empresário do jogador, sobrando 10%, cerca de R$ 1 milhão, para a Unimed, parceira e patrocinadora do clube.