icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/04/2014
15:25

O zagueiro Manoel foi afastado do Atlético-PR pela diretoria. Ele foi acusado de indisciplina e vontade de ser negociado, e treinará sozinho até o fim do vínculo contratual, que acontece em dezembro de 2015. Mas segundo o empresário do jogador, Nico Cirne, o buraco é mais embaixo. Em entrevista à "Gazeta do Povo", Cirne afirma que o presidente atleticano, Mario Celso Petraglia, está pressionando o atleta a renovar o contrato contra a própria vontade.

- O Manoel tem quase 250 jogos pelo Atlético. No dia em que o pai dele morreu, ele estava em campo e não no velório. Quando ele fez gol no tempo normal e acertou pênalti para colocar o time na Libertadores, o presidente entrou no vestiário para abraçar e falar que ele era o melhor. Agora vem dizer que o Manoel é indisciplinado? - questionou o empresário à "Gazeta do Povo".

No começo do ano, o Fluminense chegou a acertar as bases salariais com o zagueiro, segundo Cirne, e o Rubro-Negro ignorou a proposta, enquanto pressionava o defensor a assinar um novo contrato. O empresário de Manoel também revelou que a saída conturbada de Paulo Baier - a quem também presta serviço -, pode estar pesando na decisão do zagueiro de não continuar no Furacão.

- Não estamos na escravidão. Ninguém é obrigado a assinar um contrato se não concorda com o que foi oferecido. O presidente acha que é Deus e que aquilo que ele quer deve ser aceito e ponto - revelou Cirne.

A reportagem do LANCE!Net tentou entrar em contato com o presidente Petraglia, para tentar esclarecer a situação, mas não teve as ligações atendidas pelo mandatário.