icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
17/06/2014
20:24

Mais do que a liderança mantida no empate com o México, os jogadores da Seleção Brasileira destacaram a experiência ganha com o jogo, mais difícil até do que eles esperavam.

Para o zagueiro David Luiz, o time sai mais preparado para o que a Copa do Mundo pode oferecer.

– Pelo que o México apresentou, o empate não frustrou de maneira alguma. O goleiro (Ochoa) parou nosso time e fizemos tudo o que podíamos. A gente sabe onde está pisando. Às vezes, esses jogos difíceis nos preparam para as próximas fases. Poderíamos ganhar os três jogos de 3 a 0, mas cair já no primeiro mata-mata. Então, é bom para amadurecer e preparar a equipe para as dificuldades – disse.

A má notícia é que, apesar de ter gostado do resultado, Felipão quebrou a sequência de oito vitórias seguidas em Copas pela Seleção Brasileira – sete de 2002 e a da estreia.


Mas nada que incomode os jogadores. Acredite ou não, o volante Luiz Gustavo diz até que quer que Camarões dificulte ainda mais.

– Com certeza, cada jogo vai ser mais difícil que do o jogo anterior. O jogo contra a Croácia foi muito difícil, esse contra o México mais ainda e os outros que virão, se Deus quiser, terão a dificuldade aumentando cada vez mais. Nós estamos nos comportando muito bem e nos entrosando cada vez mais. Esse é o objetivo.

Já o atacante Jô, que estreou na Copa ao substituir Fred, viu o time mais solto e “destravado” do que na estreia. E, para ele, a Seleção vai encerrar a primeira fase jogando ainda melhor contra Camarões.