icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/03/2014
14:01

O desempenho abaixo do esperado da Argentina no empate sem gols com a Romênia fez levantar a questão em torno da ausência de Tevez. Artilheiro do Campeonato Italiano, com 15 tentos, a falta do atacante da Juventus na seleção é sempre citada pelos torcedores a cada exibição decepcionante.

No entanto, por melhor que seja o seu desempenho no clube, Tevez é carta fora do baralho do técnico Alejandro Sabella. Por quê?

O treinador está há dois anos e meio no comando da seleção argentina. Neste período não deu nenhuma chance ao atacante da Juve. Entre as especulações estão o fato de Sabella não gostar do comportamento de Tevez, e até mesmo há uma versão em torno de um incômodo de Messi.

- Não creio que meus gols convençam a Sabella para que me leve à Copa do Mundo. Espero dar o melhor de mim, e agora só penso em conquistar o título italiano pela Juventus - disse Tevez, recentemente, ao diário italiano "Tuttosport".

Nas últimas coletivas, sempre que perguntado em relação à ausência de Tevez, Sabella afirma categoricamente que não fala sobre "não convocados". Porém nem sempre foi assim.

- Carlos é um jogador dinâmico, de muito temperamento, um goleador. Assim que será observado como são todos - foram palavras proferidas pelo treinador, em março de 2012, à emissora ESPN argentina.

Pois justamente o temperamento de Tevez é um dos motivos apresentados para esta aversão de Sabella. O atacante se envolveu em polêmicas quando defendia o Manchester City.

Em setembro de 2011, desafiou o treinador Roberto Mancini ao se recusar a entrar em campo durante um jogo contra o Bayern de Munique. Em março de 2013, Tevez foi pego dirigindo sem habilitação e foi condenado a cumprir sua pena fazendo serviços sociais. Atitudes estas que fizeram o jogador perder pontos preciosos com um técnico que adota o perfil baixo como filosofia. Isso, porém, é só um lado da história.

Tevez é o arquétipo do jogador que habita o coração dos torcedores argentinos. Produto de uma vida de privações na infância pobre do Forte Apache, uma das vizinhanças mais violentas de Buenos Aires, cria da base do Boca Juniors, o atacante é o que se chama na Argentina de "jugador de la gente". Ou seja, o "jogador do povo".

Não são poucos os que afirmam que essa adoração popular na Argentina por Tevez incomode a Messi. Ambos estiveram juntos na seleção em duas Copas do Mundo (2006 e 2010), e em duas Copas América (2007 e 2011). Em todas houve sempre quem apontasse que o desempenho do craque do Barcelona na seleção é mais tímido, contrastando com o temperamento aguerrido do companheiro.

À esta teoria se junta o fato de que Sabella espera armar o seu time em torno das necessidades de Messi, como Pep Guardiola conseguiu fazer com sucesso no Barcelona. Assim, os desejos de seu astro são um prioridade. Principalmente na hora de montar a seleção que irá disputar a Copa do Mundo.

Com a palavra
Enzo Palladini (Editor da TV Mediaset-ITA)

Esse é um assunto que também é muito comentado na Itália. Sempre que é perguntado sobre o tema, Tevez ri, não dá uma explicação muito clara e obviamente passa a ideia de que não quer falar sobre o real motivo de sua ausência da seleção. Principalmente os torcedores da Juventus acham incrível ele não ser convocado. A cada jogo no Campeonato Italiano, Tevez mostra ser um jogador vibrante, coletivo, que carrega o time. Incrível que Alejandro Sabella não o convoque. Ele não mostra qualquer problema com o técnico Antonio Conte, que é uma pessoa muito rígida. Nos treinos, sempre trabalha mais que os outros jogadores.