icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
25/02/2015
22:46

Abrindo a Copa do Brasil de 2015, Moto Club, do Maranhão, e Boa Esporte, de Minas Gerais, fizeram a primeira partida de ambas as equipes na competição mata-mata. O duelo de ida foi realizado nesta noite de quarta-feira, no estádio Castelão, em São Luís. O time da casa marcou o primeiro gol do jogo, enquanto os mineiros igualaram o marcador ainda no primeiro tempo. O placar final de 1 a 1 faz com que as equipes se reencontrem pelo torneio, agora em um novo duelo em Minas Gerais.

Aos 38 minutos do primeiro tempo, o Moto Club abriu o placar em jogada ensaiada que nasceu no escanteio. No tiro de canto, a bola foi desviada no primeiro poste e sobrou para Naor baçançar as redes. Dois minutos mais tarde, Matheus Ferraz sobe bem para empatar de cabeça a cobrança de falta na intermediária direita do campo.

A partida continuou movimentada no segundo tempo, mas sem mais gols para os 1219 torcedores no estádio Castelão. Com o resultado, o Boa leva a vantagem para Minas Gerais e poderá empatar a partida da volta por 0 a 0 que estará classificado para a próxima fase.

E MAIS:
> Confira como foi a vitória do América sobre o Luziânia na Copa do Brasil
> Atlético perde em casa para o Atlas e se complica na Libertadores
> Libertadores: Cruzeiro e Universitário Sucre ficam no 0 a 0

No fim da partida, Tião Scarpino, preparador de goleiros  que assumiu interinamente após a demissão de Eugênio Souza no início da semana, se mostrava feliz com o resultado.

-  Acabei vivendo uma experiência única, de comandar o time em um jogo importante como esse, de Copa do Brasil. Mas  o resultado não era o que a gente esperava queria a vitória, abrimos frente e levamos um gol de bola parada - disse Tião, que já sabe que não permanecerá no cargo, pois a diretoria do Moto Club deve oficializar o nome do novo técnico ainda nesta quinta-feira.

 Mas o jogador Raniere não estava nem um pouco feliz: 

- Com todo o respeito ao Boa. Mas ele  não é time para empatarmos em casa. Era para ter ganho aqui.

Ranieri ao menos disse que o time mostrou alguma reação, apagando o mau momento no Maranhense:

- Desta vez vimos  mais fibra, gana e raça. Superamos tudo na vontade. Mas o time está cansado. São oito jogos em 25 dias. Há de convir que cansa. Aliás, se eu se fosse o  treinador tentava revezar o grupo, que é todo nivelado. Mas não sou treinador e não cabe a mim pensar sobre isso.