icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni e Gabriel Carneiro
26/11/2013
07:01

É difícil encontrar alguém que elogie o desempenho de Emerson nesta temporada. O próprio atacante já afirmou que não foi dos melhores. O problema é que, depois da renovação de contrato, em julho, o desempenho piorou. Após selar acordo para estender seu vínculo até 31 de julho de 2015 – terminaria em dezembro deste ano –, Sheik se viu em meio a polêmicas extracampo e virou alvo de protestos de torcidas uniformizadas.

Média maior de cartões amarelos, duas expulsões que, até então, não tinham acontecido, e apenas um gol marcado em 27 partidas. Sim, é isso mesmo. Apesar de ser atacante, marcou apenas contra o Grêmio, no Pacaembu, pelo Brasileirão, num lance em que Dida deu rebote e a bola sobrou para ele, sozinho.

A pequena quantidade de gols – cinco em 57 jogos –, é resultado da má fase técnica que os torcedores corintianos desconheciam desde de sua chegada, em meados de 2011. Chutes tortos e chances desperdiçadas cara a cara com goleiros, como diante de Felipe, no fim do jogo contra o Flamengo, marcaram os últimos meses.

Todos os companheiros de ataque fizeram mais gols: Romarinho (seis), Pato (17) e Guerrero (18). Até mesmo Danilo, que é meia e também vive má fase, fez um a mais. Isso sem falar em Paulinho que, apesar de ser volante e de ter sido transferido para a Inglaterra no início de agosto, continua com uma bola na rede a mais neste ano.

Em recente entrevista, concedida após perder um gol incrível contra o São Paulo, quando saiu cara a cara com Rogério Ceni, Emerson lembrou dos cinco títulos conquistados no clube para rebater a cobrança dos torcedores, que aumentou depois do episódio do selinho.

Apesar do sucesso inegável com a camisa do Corinthians, com cinco títulos, o mau futebol dos últimos meses faz torcida e diretoria se perguntarem como serão os 18 meses restantes de contrato. Terá valido a pena essa renovação de contrato?

2013, ANTES DA RENOVAÇÃO:

30 jogos
4 gols
10 amarelos
0 vermelho
1 titulo

2013, APÓS A RENOVAÇÃO (16 de julho):

27 jogos
1 gol
11 amarelos
2 vermelhos
1 titulo