icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2014
08:01

Apegado à família, especialmente ao irmão gêmeo Óscar, o paraguaio Ángel Romero completa nesta sexta-feira 22 anos de idade, e pela primeira vez fará a festa longe da cidade de Fernando de la Mora, onde nasceu, a 9 km de Assunção. O jogador ainda não foi apresentado pelo Corinthians, que espera o fim da Copa do Mundo para que a chegada do reforço tenha mais visibilidade, mas já treina ao lado dos novos companheiros desde o dia 16, quando o grupo iniciou um período de treinos em Extrema (MG).

O LANCE!Net traçou um perfil de Romero logo que ele completou a primeira semana de treinamentos, e descobriu curiosidades sobre sua adaptação ao país: ele ficou sozinho no quarto do hotel-fazenda de Minas Gerais porque Anderson Martins ainda não havia sido anunciado, conversava diariamente com Óscar por mensagens de celular, andava para cima e para baixo com uma cuia personalizada de tereré (bebida típica do Paraguai) e foi "entrevistado" pelo técnico Mano Menezes e a comissão técnica do Timão.

Com mais tempo de adaptação ao Corinthians, Romero está tentando ganhar espaço nos treinamentos desde o retorno de Extrema. O paraguaio costuma atuar no time reserva, fazendo dupla com o garoto Malcom, de 17 anos, mas ainda está discreto nas atividades e não marcou gols. No último sábado, no jogo-treino contra o São Bernardo, o novo reforço do Timão até mostrou ousadia, mas sem brilhar.

O Timão tem um amistoso neste domingo, às 17h, contra o Uberaba, em Minas Gerais. Romero deve começar no banco e ter espaço apenas no segundo tempo. Mesmo assim, é tratado pelos organizadores do evento como uma das principais atrações, assim como os outros reforços Elias e Anderson Martins. O uruguaio Lodeiro, quarto reforço da parada do Brasileirão para a Copa do Mundo, só chega na segunda-feira ao CT Joaquim Grava.


CONFIRA O QUE DISSERAM OS JOGADORES DO CORINTHIANS SOBRE ÁNGEL ROMERO:

Cássio: "A equipe já é bem qualificada e com a chegada desses jogadores se mostra mais forte ainda, entra na briga. Mas é dentro de campo que temos que mostrar que somos fortes, não adianta só ter nome".

Fagner: "Clube grande quando quer disputar título tem que ter bons jogadores em todas as posições, não adianta ter um só, ou dois, tem que ter bastante jogador".

Gil: "Todo mundo que está aqui fez por merecer. E os que estão chegando agora, conhecendo a gente, sabem que o grupo acolhe super bem".

Bruno Henrique: "Vamos receber ele da melhor maneira possivel. Tivemos pouco contato ainda, mas esperamos integrá-lo no grupo para ele se sentir da melhor forma. Ele chegou quetinho, esperamos que possa se entorsar logo".

Ralf: "Essa concorrência é sadia, é boa. Todo treinador quer ter essa dor de cabeça, e com o Mano não é diferente. Ele sabe o plantel, o elenco que tem e é bom ter essa disputa, porque acaba se dedicando mais".

Petros: "É um cara estrangeiro e é difícil a adaptação. É um cara que tem uma qualidade muito grande, quem pode acompanhar a Libertadores, viu as grandes partidas que ele fez. Ele é um menino muito bacana e tenho certeza que vai se adaptar e nos ajudar bastante".

Jadson: "Às vezes temos que ter elenco qualificado para quando um não estiver bem outro possa entrar e cumprir bem a função. São jogadores que chegam para ajudar e serão bem recebidos".

Romarinho: "Ele está igual a mim quando cheguei: quietinho, tímido. Mas a gente procura brincar e zoar bastante chamando de Maria Gadú. Ele não entende nada, coitado. Também tem aquele moleque do Restart, o Pe Lanza".

Guerrero: "Ele está se entrosando, não fala ainda português, mas esperamos que se entrose rápido, porque vamos precisar de todo mundo. O Brasileiro é longo, a Copa do Brasil também. Queremos ganhar o campeonato".

Luciano: "Difícil é chegar no Corinthians, a gente que está aqui sabe como é. O Marcelo se vier, vai ser bem acolhido, como o Ángel. Estamos tranquilos, vou procurar dar meu máximo para ter espaço".

Malcom: "A qualidade dele é aproximar muito bem, dar muita linha de passe. É um grande jogador, espero dar certo com ele".