icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
21/02/2015
09:02

No treino desta sexta-feira, apenas quatro titulares da vitória sobre o São Paulo foram a campo: Cássio, Gil, Felipe e Ralf. Os outros sete que iniciaram o clássico ficaram na parte interna do CT. Se Tite repetir o que fez antes do duelo com o Botafogo-SP, Fagner, Fábio Santos, Elias, Jadson, Renato Augusto, Sheik e Danilo não serão relacionados para o jogo contra o Ituano, amanhã à tarde, em Itu.

Mas a decisão, caso seja confirmada no trabalho deste sábado, não está relacionada apenas à chance de oferecer descanso aos titulares. É também uma forma de administrar o ambiente, de motivar os reservas e manter o controle sobre o elenco. Ter a chance de entrar em campo, independentemente do adversário e da competição, colabora para que reservas e titulares convivam de forma mais harmônica, algo fundamental.

Harmonia que a diretoria também tenta manter. Nas últimas semanas, os agentes de Petros e Luciano reclamaram publicamente que seus clientes não estão sendo aproveitados como eles gostariam. O gerente de futebol Edu Gaspar foi quem teve de conversar para acalmá-los, já que a intenção era tirá-los do Timão – ambos foram oferecidos pelos empresários a outros clubes.

Para se ter uma ideia, Petros, Cristian e Luciano foram cortados do banco de reservas no jogo contra o São Paulo, pela Libertadores, já que a Conmebol autoriza apenas sete atletas como opção. Se Guerrero não estivesse suspenso, Mendoza ou Vagner Love também ficaria fora.

Mas esses são apenas alguns casos que chamaram atenção. Os meninos da base ainda não tiveram chance, com exceção de Malcom, que entrou nos minutos finais na última quarta-feira. O atacante, que terminou 2014 como titular, porém, havia sido cortado até do banco em Manizales, contra o Once Caldas. E o que falar de Romero? O paraguaio não jogou um minuto sequer.

Anunciado como novo superintendente de futebol, Andrés Sanchez já detectou que a situação poderá ser um problema para Tite. O ex-presidente, que também já foi diretor de futebol, elogiou o reinício de trabalho do técnico, mas fez um alerta em relação à quantidade de bons jogadores para apenas 11 vagas.

– Tite é um estudioso, amadureceu bastante e está com um grupo bom, que facilita a vida de um treinador. Mas ele terá problema pela frente. Temos 18, 19 jogadores que podem ser titulares e isso é difícil de ser administrado. Temos de trabalhar bastante, diretoria e técnico – afirmou.

EXEMPLOS DE FALTA DE ESPAÇO PARA TODOS:

Vagner Love
Recém-contratado, centroavante ficou no banco de reservas no Majestoso, mas não entrou. Busca a melhor forma.

Petros
Meia foi cortado do banco de reservas nos dois jogos como mandante na Libertadores. Foi titular contra o Palmeiras.

Luciano
Atacante foi cortado do banco contra Once Caldas e São Paulo. E atuou pouco no Estadual. Seu agente já reclamou de Tite.

Cristian
Volante tem um dos maiores salários do elenco. Foi cortado do banco contra o São Paulo e viu o jogo das tribunas.

Ángel Romero
O atacante paraguaio não jogou um minuto sequer nos nove jogos realizados pelo Corinthians nesta temporada.

Malcom
O atacante terminou 2014 como titular, foi para a Seleção sub-20 e voltou como uma das opções do banco de reservas.