icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
10/11/2014
08:04

Valdivia estará com a seleção chilena e não poderá enfrentar o São Paulo, em jogo que o Palmeiras trata como decisão, no próximo domingo. Mesmo assim, seu nome será um dos mais comentados da semana, já que o time de Dorival Júnior depende de seu futebol para ser competitivo. Ele não quer mais isso em 2015, e a força do elenco terá peso na conversa para renovar o vínculo.

Quem convive com o meia de 31 anos atesta que ele está cansado de ser culpado por derrotas das quais não participa e incomodado com a fragilidade do Palmeiras, que venceu só quatro das 18 partidas que disputou sem ele no Brasileirão. Sábado, contra os reservas do Atlético-MG, nem a boa atuação do chileno foi capaz de impedir a derrota por 2 a 0.

Entre os interlocutores de Valdivia, há quem diga que montar uma equipe capaz de brigar por títulos é mais importante do que a discussão de salários e tempo de contrato na tentativa de mantê-lo no Alviverde – hoje, seus vencimentos se aproximam de R$ 500 mil e estão muito acima do teto estipulado pela diretoria.

- Não é uma coisa que você descobre porque perdeu para o Atlético. Sempre falei que, para ter um ano bom, precisa ter elenco - disparou o jogador após o revés no Pacaembu.

O Mago tem contrato com o Verdão até agosto de 2015 e já manifestou o desejo de ampliar o compromisso. Ele ainda não foi procurado para negociar, mas Paulo Nobre, presidente e candidato à reeleição, e Wlademir Pescarmona, candidato da oposição, também querem que o camisa 10 continue no clube.

Hoje, as opções que Dorival tem para substitui-lo não são muito animadoras. Allione e Mazinho foram usados ao lado dele contra o Galo, mas, de tão improdutivos, saíram no intervalo. Mesmo assim, eles são os favoritos a armarem o time no Morumbi. Neste cenário, bastaria colocar o volante Wesley, que volta de suspensão, no lugar do Mago.

Outra opção é sacar Allione ou Mazinho para a entrada do atacante Mouche, formação treinada antes do confronto com os mineiros. Bernardo, Mendieta e Felipe Menezes também seriam opções para o setor criativo, mas estão em baixa e têm poucas chances de jogar. Dorival terá a semana toda para trabalhar a formação que deseja.