icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
04/02/2015
15:53

O destino de Cleiton Xavier não deverá ser o Palmeiras. O nome do meia estava na lista de desejos para 2015, mas a diretoria julga que não valeria a pena entrar na briga para contratá-lo agora por dois motivos: o elenco está fechado para o primeiro semestre, até com mais jogadores que o desejado por Oswaldo de Oliveira, e os concorrentes oferecerão cifras muito altas. Há outros clubes na disputa, do Brasil e do exterior, mas o Cruzeiro é forte favorito a contratar o jogador de 31 anos.

Na noite dessa terça-feira, Cleiton Xavier conseguiu rescindir seu contrato com o Metalist (UCR), que venceria só no meio de 2017, após entrar na Justiça cobrando salários atrasados. Se ele conseguisse a liberação antes das contratações de Robinho, Alan Patrick e até de Zé Roberto (que está jogando como lateral-esquerdo, mas consegue atuar na meia), o Verdão teria feito uma investida - em meados de 2014, se assustou quando os ucranianos pediram 6 milhões de euros (mais de R$ 18 mi) para vendê-lo e recusaram um empréstimo. A diretoria continua enxergando em Valdivia o principal nome para o meio de campo, tanto que está tentando renovar com ele, cujo contrato vence em agosto.

O presidente do Alviverde, Paulo Nobre, é amigo de Cleiton e mantém contato frequente, mas o Verdão não chegou a abrir negociação salarial nesta janela. Mesmo assim, o clube sabe que o jogador está pedindo um valor elevado de luvas, além de salários considerados altos. O Cruzeiro, que acabou de negociar Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, os meias titulares no bicampeonato brasileiro, está disposto a investir para ter um nome de peso no setor.

O Palmeiras contratou 18 jogadores para 2015 e, na visão da diretoria, está pronto para o primeiro semestre - novos nomes, portanto, viriam apenas para o Brasileirão. O diretor de futebol Alexandre Mattos costuma dizer que o elenco nunca está "fechado", abrindo espaço para "oportunidades de mercado". Poderia ser o caso do CX10, que teve boa passagem pelo clube entre 2009 e 2010, mas a conclusão é de que, pelo menos nas condições atuais, não é válido.