icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães
23/06/2014
07:40

Insatisfeitos com os rumos que o Vasco vem tomando nos últimos anos e contrários ao retorno de pessoas que já estiveram na administração do clube, como Eurico Miranda, um grupo de cruz-maltinos está se reunindo para formar uma nova força política e pretende lançar uma chapa para a eleição presidencial, marcada para seis de agosto.

Um dos grandes motivadores é o ex-jogador Edmundo e a equipe conta ainda com outros nomes fortes interna e externamente, como Sérgio Cabral, Sérgio Cabral Filho, Jorge Salgado e José Carlos Osório. O grupo, que deve oficializar a campanha no decorrer desta semana, visa um projeto ambicioso para tirar o clube do definem como caos.

A chapa “É Vasco”, formada por dois grupos (Cruzada Vascaína e Pró-Vasco) também está ligada a este novo grupo e poderá se unir a ele para a disputa do pleito.

Edmundo, que recentemente fez cursos de gestão, a princípio, não encabeçaria a chapa, mas teria um cargo executivo ligado ao futebol. Vale ressaltar que, no ano passado, o Animal recebeu do presidente Roberto Dinamite um título de sócio benfeitor remido do Vasco, o que o permite a concorrer a cargos, inclusive, o de mandatário. De acordo com o estatuto, apenas são elegíveis aqueles sócios que fazem parte do quadro por cinco anos de maneira ininterrupta.

Fernando Horta, inicialmente cotado como um dos candidatos, teve de ir a Portugal na última semana para resolver problemas particulares, mas deverá se reunir com o grupo no início desta semana e, caso o apoio à chapa seja confirmado, conversar sobre um possível cargo. O mandatário da Unidos da Tijuca tem a intenção de ajudar o Cruz-Maltino de alguma forma.

Dentre os assuntos abordados pelo grupo para o futuro do Vasco, estão inclusos reformas em São Januário, a construção de um centro de treinamento e a formação de parcerias com empresas do exterior para reerguer o clube financeiramente.

Quando Fernando Horta disse que não seria mais candidato, muitos simpatizantes de Eurico Miranda deram como certa a vitória. Com a nova chapa, o ex-presidente, com certeza, já começa a coçar a cabeça e ver a sua volta ao poder ameaçada.