icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/06/2014
11:32

Na opinião do lateral direito Edilson, o fato de o Botafogo ter feito poucas partidas como mandante nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, antes da parada para a disputa da Copa do Mundo, influenciou no desempenho do time. Para o jogador, no entanto, a equipe comandada pelo técnico Vagner Mancini já demonstrou poder de reação nos últimos dois confrontos, contra Palmeiras e Corinthians, quando conseguiu uma vitória e um empate, em jogos disputados no estado de São Paulo.

Na 14ª colocação na tabela de classificação do Brasileirão, com 9 pontos ganhos, Edilson afirma ainda que na volta da competição, em julho, o time tem tudo para seguir um novo rumo na competição. Na opinião dele, para isso ocorrer, será fundamental o apoio do torcedor botafoguense.

- Vale que citar também que dos nove jogos antes da parada para a Copa do Mundo só jogamos duas partidas em casa, no Maracanã. Isso foi uma dificuldade muito grande para nós. Jogamos em campos horríveis. O nosso torcedor tem que confiar. O torcedor viu uma reação do grupo, viu o time jogar melhor do que antes. Vamos voltar com tudo, após a parada - disse Edilson, em entrevista à Rádio Brasil.

O elenco do Botafogo está de férias e se reapresenta ao técnico Vagner Mancini no próximo dia 16. A próxima partida pelo Brasileirão acontecerá um mês depois, contra o Sport, em Recife. Enquanto os jogadores descansam, a diretoria trabalha para conseguir recursos para acertar os salários dos jogadores, atrasados há dois meses. Para Edilson, ter os vencimentos em dia será outro fator importante para tranquilizar o elenco para buscar uma melhor campanha no restante do ano.

- A diretoria está incomodada com esta situação (salários atrasados). Eles (dirigentes) estão buscando recursos para deixar tudo em dia. Confiamos no Sidnei (Loureiro, gerente técnico), no presidente (Mauricio Assumpção), no Aníbal Rouxinol (gerente executivo). Sem dúvida nenhuma, quando tudo estiver certo as coisas poderão acontecer de uma melhor forma dentro de campo - destacou o lateral, que comentou também o fato de estar sendo escalado pelo treinador no meio de campo:

- Estou me sentindo à vontade no meio. Eu disse para o Mancini que podia contar comigo. Isso é espírito de grupo. Minha posição é lateral, mas quando precisarem estou ali para ajudar.