icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
20/11/2014
15:40

Pelas suas atitudes dentro e fora do octógono, Alistair Overeem é um dos lutadores mais polêmicos do UFC. O peso pesado, que atualmente treina na academia de Greg Jackson, já passou pela Blackzilians, casa de Gilbert Durinho, entre outras feras do MMA. O faixa-preta de jiu-jitsu não se esquivou de opinar sobre a saída do holandês do time.

Em entrevista ao LANCE!Net, o atleta afirmou que foi a decisão de Overeem de abandonar a equipe foi boa para todos, mas garantiu não ter mágoa do ex-companheiro, torcer para seu sucesso e para que ele aprenda com os erros.

- Não tenho contato com ele, mas torço que ele dê a volta por cima. Ele teve problemas com o time todo, não foi só comigo e foi melhor para todos ele sair, inclusive para ele mesmo. A equipe ficou chateada com algumas atitudes dele e tomara que consiga resolver seus problemas, aprender com os erros e se tornar uma pessoa melhor - afirmou ao L!Net.

Se a convivência com Overeem não era uma das melhores, com o resto da equipe Blackzilians o lutador não poupou elogios. Para Durinho, o aprendizado é enorme na academia e garante que isso no futuro vai deixá-lo mais técnico e experiente.

Durinho durante um treinamento na Blackzilians (FOTO: Ryan Loco)

- Tenho um relacionamento muito bom com todo mundo. Eu sempre pergunto coisas e, como sou do jiu-jitsu, muitos atletas também recorrem a mim para saber alguns detalhes. A galera toda me ajuda, o Rashad é um cara que conhece muito de transição, pode lutar em pé e derrubar a hora que quiser. Tento pegar tudo de bom desses companheiros que no futuro vai me ajudar muito - disse.

Após lutador no UFC 179, no Rio de Janeiro, em outubro, Durinho pediu para atuar em Barueri, em dezembro. No entanto, não teve essa oportunidade e já mira outra data para voltar. Segundo ele, a ideia é estar em ação em janeiro, para depois poder ajudar na preparação de Vitor Belfort, quando enfrenta Chris Weidman, dia 28 de fevereiro, pelo cinturão dos médios da franquia.

- Pedi para lutar em janeiro, sei que tem o evento do Anderson, mas tenho que ver se terei essa oportunidade. Seria ótimo, mas também estou aberto para lutar no Brasil. Acho essa data perfeita, porque seria quando eu estivesse bem preparado e em fevereiro poderia me focar somente em ajudar o Vitor. Agora peço ao Joe Silva essa chance - completou.