icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2014
15:17

Além de ex-jogador e técnico, Dunga, que voltou esta semana ao comando da Seleção Brasileira, também tem no currículo, ainda que negue, experiência como agente de atletas, segundo reportagem do site da ESPN Brasil.

De acordo com documentos, o capitão do tetra participou da negociação entre o RS Futebol Clube e o grupo Image Promotion Company (IPC) por parte dos direitos do meia Ederson (atualmente na Lazio), em 2004.

Prova disso é que a empresa Dunga Empreendimentos, Promoções e Marketing Ltda. recebeu uma comissão de aproximadamente R$ 407 mil “pelos serviços prestados de assessoramento, acompanhamento e indicação de investidor na aquisição de direitos federativos e econômicos de atleta”, como mostra a nota fiscal exibida pelo site.

O grupo IPC, já em 2006, adquiriu o restante dos direitos de Ederson (25%). E quem apareceu como autor do depósito de 575 mil dólares (R$ 1,15 milhão) foi o próprio Dunga. Ao site da ESPN, o técnico da Seleção negou que tenha sido agente e explicou que o pagamento pela parcela de Ederson foi um empréstimo ao IPC, cujo endereço é o mesmo da World Champions Club (WCC), empresa de agenciamento de futebol da qual Dunga aparece como cliente.