icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
17/11/2014
15:28

Sereno, porém convicto e firme, Dunga estava preparado para encarar o bombardeio de perguntas sobre as polêmicas declarações de Thiago Silva. O técnico da Seleção Brasileira não alimentou polêmica até mesmo para manter o ambiente saudável do grupo, mas mandou recados, que não foram poucos.

O comandante do Brasil deixou explícito que a hierarquia é um dos pilares que guiam o trabalho dele e que não há intocáveis. Com um discurso voltado para o profissionalismo, ele disse esperar o mesmo de seus comandados justamente por estar lidando com "homens".

A coletiva desta segunda-feira no estádio Ernst Happel teve como primeira pergunta um questionamento mais genérico sobre a polêmica e como o técnico recebeu as informações:

- Para mim está tudo tranquilo. O ambiente da Seleção é bem tranquilo. Estamos trabalhando bem, com qualidade. Cada um tem direito de expressão. Vivemos em uma democracia. Trabalho com profissionais e com homens. Respeito eles desta forma e cada um tem o direito de colocar sua opinião - disse o técnico, dando o primeiro aviso.

Depois, Dunga foi questionado especificamente sobre Thiago Silva ter externado a insatisfação por não ter tido uma conversa sobre a perda do posto de capitão para Neymar. Foi neste momento, então, que o técnico mostrou, sem citar nomes, ter reprovado as declarações do jogador. Sem alterar o tom, o técnico fez uma crítica mais ríspida.

- Na Seleção Brasileira ninguém perde nada quando chega. Ninguém é dono de nada. Seleção é da Seleção. Aqui tem de conquistar minuto a minuto, treinamento a treinamento. Estamos fazendo um trabalho tentando escolher novos líderes. Uma equipe não tem um líder só, mas precisa ter vários. E a decisão é do técnico. Quando cheguei, o presidente e Marco Polo Del Nero comentaram que teria de tomar decisões e começar do zero. Assim, não tinha o 9, o 5, o capitão, o 10, o goleiro... Então iniciamos o trabalho. Respeito e muito a história dos jogadores dentro da Seleção, mas minha forma de trabalhar é esta, respeito todos os profissionais. Eu os trato como homens, como profissionais que trabalham em equipe - avisou.

O técnico também confirmou que teve uma conversa com Thiago Silva, mas não revelou o teor do que foi debatido.

- O que falamos são coisas internas. Ele deve ter expressado para vocês que nos procurou para conversar. Como disse, são coisas internas e já passou. Temos de pensar na Seleção e fazer bom jogo para dar continuidade ao nosso trabalho. (Thiago) já tinha trabalhado comigo nas Olimpíadas e na Copa e sabe da forma e do posicionamento que tenho com todos - comentou.

O zagueiro ainda foi alvo de um outro recado de Dunga quando o técnico foi abordado sobre uma declaração do zagueiro, que vê a atual Seleção com muitos jovens e com muita correria, sendo necessário a presença de jogadores mais experientes também.

- Este é o ritmo que está se jogando no futebol moderno: velocidade, agilidade e pressão. Mas torno a repetir. Gosto e respeito muito a hierarquia. A forma da equipe jogar é uma decisão da comissão - concluiu o técnico.