icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/07/2014
20:18

Comandante da Seleção Brasileira na Copa de 2010 e aposta da CBF após a saída de Carlos Alberto Parreira, em 2006, Dunga poderá novamente dirigir o Brasil. Amigo de Gilmar Rinaldi, novo coordenador de seleções, o técnico já recebeu o convite e pode ser anunciado na terça-feira, segundo informações do jornalista Wanderley Nogueira, da rádio Jovem Pan.

O LANCE!Net apurou que o treinador está em São Paulo onde, coincidentemente, Rinaldi reside e também se encontra o vice da CBF, Marco Polo Del Nero.

Uma pessoa próxima ao treinador disse que Dunga teria vontade de voltar ao comando da Seleção e o empecilho que impediria a volta seria o diretor de comunicação Rodrigo Paiva, com quem o técnico teve problemas antes de ser demitido em 2010. Paiva, por sua vez, foi desligado da entidade na segunda.

O perfil disciplinador e avesso a aparições na mídia pesariam para Dunga ganhar novamente uma chance dos dirigentes, apesar da saída turbulenta há quatro anos.


Antes de a CBF anunciar a saída de Luiz Felipe Scolari e começar a reformulação para a Copa de 2018, Dunga estudava sondagens recebidas de duas seleções. Durante a Copa do Mundo, o técnico foi comentarista de uma TV mexicana.

Na primeira passagem pela Seleção, Dunga conquistou os títulos da Copa América e da Copa das Confederações, além do primeiro lugar das Eliminatórias. Foram 60 jogos, 42 vitórias, 12 empates e seis derrotas, incluindo o revés para a Holanda nas quartas de final da Copa na África do Sul.

Em 2013, o técnico foi contratado para assumir o Internacional. Ele chegou a conquistar o Campeonato Gaúcho, mas foi demitido em outubro na sequência do Brasileirão. Pelo Colorado, obteve 25 vitórias, 18 empates e nove derrotas em 52 compromissos.