icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2014
09:02

Artilheiro do Campeonato Brasileiro com 15 gols e também principal goleador do Palmeiras na temporada 2014, Henrique está perto de fechar o ano do centenário do clube com larga vantagem sobre Alan Kardec, que atuou pelo Verdão até abril, marcou dez vezes e está em segundo na lista de artilheiros do ano. Neste domingo, às 19h30, o camisa 19 do Verdão reencontrará o ex-jogador do Palmeiras, de quem foi sombra nos seus primeiros dias na Academia de Futebol.

Alan Kardec defende o São Paulo e até foi protagonista no clássico do primeiro turno do Brasileirão quando, depois de poucos meses após a polêmica transferência, decidiu a favor da nova equipe. Já Henrique, que tem contrato com o Verdão até o fim do ano, vive a expectativa da renovação e lembra o quanto foi difícil espantar a sombra de Kardec.

- Foi muito complicado. A gente sabia da responsabilidade, mas eu estava preparado para isso, recebi apoio da comissão da época, da diretoria, funcionários. Acho que tive uma receptividade muito boa e isso contribuiu para eu mostrar meu trabalho e conseguir suprir a ausência dele parcialmente. Espero continuar nessa sequência - afirmou Henrique, antes de projetar o duelo contra o agora são-paulino.

- Olha, trata-se de um grande jogador, todos sabem. Tem esse respeito, mas é ele defendendo as cores do São Paulo e eu as do Palmeiras. Vou dar o meu melhor para o nosso lado sair vencedor - sentenciou o autor de 17 gols com a camisa do Verdão, e que diz ter tido contato com Kardec só duas vezes durante o período em que os dois foram contemporâneos.

Destaque improvável do ano do centenário do Palmeiras, já que não estava no planejamento da temporada e só virou titular pela saída de Alan Kardec, Henrique pode ser o primeiro artilheiro do clube no Campeonato Brasileiro desde 1971, quando o torneio passou a ser chamado dessa maneira. Além disso, a marca de principal goleador do centenário o encanta, mas com moderação.

- Vai ficar muito marcado se eu for artilheiro. Mas como falei, meu objetivo é tirar o Palmeiras dessa situação. Se vier, a artilharia vai ser consequência, vou ficar feliz, mas é manter o foco.