icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2014
10:17

Donald Sterling, ex-dono do Los Angeles Clippers, que ficou conhecido pelos comentários racistas em uma conversa telefônica, resolveu tomar uma atitude em relação as punições dadas a ele após o acontecimento. Ele vai processar o clube, o comissãrio da liga, Adam Silver, e até sua esposa, Shelly Sterling, por tentarem vender a franquia para um ex-CEO da Microsoft.

Desde o escândalo, a liga tenta fazer com que o mandatário venda a franquia de Los Angeles, já que sua punição pelo acontecimento foi seu banimento da NBA, sem nem poder assistir jogos nos ginásios.

Porém, o empresário acabou processando a liga pedindo 1 bilhão de dólares por danos morais e materiais, além de querer fazer o mesmo com sua esposa, que tentou, sem sua autorização, vender a franquia para Steve Ballmer, ex-CEO da Microsoft.

– Esse é um ato frívolo, desesperado, de um homem amargo, que quer atrapalhar a venda recorde de US$ 2 milhões, algo que resolveria de vez todo o problema criado por seu escândalo de racismo – disparou Pierce O'Donnell, advogado da mulher de Donald Steling.