icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/04/2014
13:15

As duas finalizações contra o Nacional de Medellín refletem na insatisfação do torcedor atleticano diante da má fase da equipe, principalmente após a derrota para a equipe colombiana na última quarta-feira. O comportamento defensivo adotado pelo Atlético-MG durante todo o jogo resultou em 90 minutos praticamente de pressão da equipe anfitriã. Sem alternativas e velocidade necessária para sair nos contra-ataques, a postura da equipe não agradou também aos jogadores.

- Faltou ousadia, tem que arriscar, não é só ficar se defendendo, mesmo se defendendo bem como nós fizemos. Quando saímos no contra-ataque, precisamos de qualidade. Tivemos quatro ou cinco chances para fazer um lançamento bem feito, mas jogamos sempre a bola atrás dos atacantes - apontou Leandro Donizete.

MAIS:
> Sede de Lourdes amanhece pichada: 'queremos raça'
> Assim como em 2013, Galo volta a depender do Horto

Mais uma vez, o Atlético-MG leva o segundo jogo de um mata-mata da Libertadores para o Independência cheio, mas pressionado pela necessidade de uma vitória com pelo menos dois gols de diferença.

- A gente vem falando, não precisa sofrer tanto. Mas, mais uma vez, vamos sofrer um pouquinho. Estaremos preparados para sair com a vitória e conseguir a classificação - acrescentou o volante.