icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/11/2013
17:18

Após dois anos parado, Dominick Cruz finalmente voltará ao octógono para defender seu título da categoria peso-galo. O americano, que não luta desde outubro de 2011, encara o brasileiro Renan Barão na luta principal do UFC 169, que acontece no dia 1º de fevereiro do próximo ano, em Newark, nos Estados Unidos.

Apesar de estar acostumado a responder perguntas sobre sua lesão no joelho, Cruz já não demonstra a mesma paciência em falar sobre o assunto. Em entrevista ao site americano "MMA Mania", o lutador mostrou-se incomodado por ser tantas vezes questionado quanto ao tempo que está afastado do octógono.

- Estou cansado das perguntas sobre meu tempo parado. Ninguém pensa no que fiz antes de me machucar? Ninguém fala sobre isso. Quantas vitórias seguidas consegui? Limpei a divisão e os lutadores ainda são os mesmos de dois anos atrás. Como que ninguém está falando sobre isso? Só o que falam é sobre eu ter ficado dois anos parado - desabafou o atleta

Em sua última luta, Dominick defendeu título contra Johnson (FOTO: UFC)

Quanto ao seu próximo compromisso pela organização, o americano continua com sua confiança habitual. No evento do dia 1º de fevereiro, o lutador tentará ser o primeiro atleta a bater Renan Barão no UFC. Para isso, Dominick Cruz aponta seu dinamismo durante as lutas como um fator chave. Segundo ele, o brasileiro ainda não enfrentou ninguém no octógono com suas características.

- Primeiro de tudo, me movo mais do que qualquer lutador que ele já enfrentou. Eu finjo, que é algo que ninguém nunca fez com ele. Ninguém na divisão finge com as pernas; eles fingem com a parte de cima do corpo, mas com as pernas não. Também misturo muito bem chutes e socos. Não uso só o boxe, então acho que isso adiciona uma dinâmica diferente - comentou o americano, que ainda falou sobre uma declaração de Barão, de que se considera superior no solo.

- Não o culpo por dizer isso. Quem já me viu lutando no chão? Quem me segurou no chão? Quem me derrubou? Então, como isso pode ser uma vantagem? Quantas quedas ele consegue em média? Muito poucas. A questão é que ele pode ser bom quanto quiser no chão, mas posso fazer a luta ir para onde eu quiser. Ele vai ter que se ajustar a mim, porque eu dito se haverá quedas ou não - completou.

A edição 169 do Ultimate está marcada para o dia 1º de fevereiro, em Newark, Estados Unidos. Além da unificação do cinturão peso-galo, o card conta ainda com a disputa de título da categoria peso-pensa, entre José Aldo e Ricardo Lamas.