icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/06/2014
15:56

Mais de dois mil torcedores argentinos violentos, conhecidos como barras-bravas, serão impedidos de entrar no Brasil para assistirem à Copa do Mundo. Sobre eles já recaem proibições de frequentar estádios na própria Argentina.

- As autoridades argentinas deram-nos uma base de informações e esses torcedores serão identificados e impedidos de entrar - disse Luiz Eduardo Navajas, chefe da Interpol no Brasil, à agência AFP.

Navajas deixou claro que aqueles que conseguirem driblar a vigilância, serão deportados assim que forem encontrados em território nacional.

- Se eles conseguirem passar pelos controles e são encontrados no Brasil, serão deportados - explicou.

Quanto aos torcedores violentos europeus, a autoridade brasileira disse não ter a mesma preocupação como com relação aos argentinos. Isso pelo fato deles já estarem proibidos de saírem de seus países de origem.

- Eles são proibidos de sair de seus países. Seus passaportes já foram confiscados e não podem entrar no Brasil. Estamos trabalhando com a Inglaterra, Bélgica e Alemanha - afirmou.

Delegações policiais de todos os 32 países participantes da Copa do Mundo começaram a trabalhar juntos no Centro Internacional de Cooperação Policial em Brasília nesta segunda-feira. Sua função principal é fornecer inteligência e seus agentes não atuarão armados.