icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
25/02/2015
15:52

A atualização do ranking mundial desta semana que teve a adição dos resultados do Grand Prix de Dusseldorf e descontou metade dos pontos do GP da Alemanha em 2014, trouxe duas boas notícias para o Brasil. Mesmo sem pisar no tatame, o meio-leve Charles Chibana e a meio-pesado Mayra Aguiar voltaram à liderança de suas categorias no ranking mundial. O feito dos atletas brasileiros ganha ainda mais importância porque apenas três países possuem dois atletas como tops em suas categorias: Brasil, Mongólia (os ligeiros Boldbaatar Ganbat e Urantsetseg Munkhbat) e Geórgia (o meio médio Avtandili Tchrikishvili e o médio Varlam Liparteliani).

- Estar bem posicionada no ranking é importante para sair de cabeça-de-chave nas principais competições do ano. Chegar à liderança, dá uma motivação extra para buscar resultados ainda melhores em 2015 - disse a campeã mundial, que está convocada para o Grand Prix de Samsun, na Turquia, que será disputado no último final de semana de março.

A atleta assumiu a liderança depois de passar a francesa Audrey Tcheumeo, bronze em Dusseldorf em 2014, por apenas 80 pontos. A alemã Luise Malzahn, a eslovena Anamari Velensek e a norte-coreana Kyong Sol completam as cinco primeiras posições. A norte-americana Kayla Harrison, campeã do Grand Prix de Dusseldorf, subiu para a sexta posição.

Já Chibana foi beneficiado pela queda de Masashi Ebinuma que havia sido campeão na Alemanha no ano passado. Como não competiu esse ano, o japonês despencou para a quarta posição, atrás do russo Mikhail Pulyaev e o mongol Tumurkhuleg Davaadorj. O ucraniano Georgii Zantaraia completa o top 5.

Quem mais subiu foi o medalhista de bronze no ligeiro, Phelipe Pelim, que fez sua primeira competição oficial pela seleção sênior. Ele subiu nada menos que 69 posições e agora é o número 77 do mundo. Marcelo Contini (73kg), quinto colocado em Dusseldorf, subiu uma posição para o 21º lugar. Alex Pombo é o melhor brasileiro da categoria na 18ª posição. Mariana Silva, que também ficou em quinto no GP, subiu para a 20ª posição, uma a mais do que a do último ranking.

Já Rafaela Silva, ouro em Dusseldorf, subiu duas posições e agora é a terceira colocada no leve. Na mesma categoria, Ketleyn Quadros é a 15ª. Além dela, o Brasil tem outros cinco atletas entre os cinco melhores do ranking mundial: o pesado Rafael Silva, a ligeiro Sarah Menezes e a pesado Maria Suelen Altheman estão em segundo nas suas categorias; a meio leve Érika Miranda é a terceira e o meio médio Victor Penalber está em quarto.

O ranking mundial considera os resultados dos últimos dois anos conquistados pelos judocas nas competições do circuito mundial da Federação. As pontuações alcançadas nos últimos 12 meses somam os pontos integrais, enquanto nos primeiros 12 meses valem 50% do total.