icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/03/2014
20:15

O sérvio Novak Djokovic bateu o americano John Isner (12º) na noite deste sábado, por 2 a 1 (7-5, 6-7 e 6-1), e avançou para a final do Masters 1.000 de Indian Wells, na Califórnia (EUA). O vice-líder do ranking mundial da ATP vai enfrentar, neste domingo, às 18h (de Brasília), ninguém mais ninguém menos do que Roger Federer (8º) na final do evento no piso rápido.

O primeiro set neste sábado foi bastante equilibrado e John Isner por pouco não levou a parcial. Djokovic salvou três set-points do americano no décimo game, depois quebrou o saque do rival, fez 6-5 e confirmou o 7-5 em seguida.

A segunda parcial também foi bastante parelha. Djokovic quebrou no décimo game e sacou para o jogo depois. Entretanto, Isnet devolveu de zero a quebra e retornou para a partida ao vencer o tie-break por 7-2.

No início do terceiro set, Djoko chegou a perder a cabeça após um erro e descontou na raquete. Mas, no quarto game Isner cometeu até dupla-falta e facilitou para Djokovic obter a quebra. Assim, ele se estabilizou e disparou para fazer 6-1.

Neste domingo, Djokovic vai lutar pelo seu primeiro título na temporada. Ele não chegava ao Masters 1.000 de Indian Wells, o primeiro torneio deste nível na temporada, sem títulos desde 2006, quando era número 67 do ranking da ATP e ainda não havia faturado troféus na carreira.

O sérvio tentará o tricampeonato no torneio californiano. Já venceu o evento em 2008 e 2011. Foi em Indian Wells, inclusive, que Djoko disputou sua primeira decisão de Masters, em 2007, quando perdeu para Rafael Nadal.

Djokovic tentará vingança contra Federer

Na final em Indian Wells, Djokovic fará o seu 33º duelo contra Roger Federer, sendo que o sérvio venceu 15 vezes contra 17 triunfos do suíço. O tenista de 26 anos vai tentar se vingar da semifinal do ATP 500 de Dubai (EAU), em fevereiro, onde Federer o eliminou e depois seria campeão.

Federer e Djokovic já duelaram em três finais de Masters: Cincinnati, 2012 e 2009, e Montreal, 2007. Djoko venceu somente a decisão no Canadá.