icons.title signature.placeholder David Nascimento
02/07/2014
08:04

O Flamengo está sem receber, há dois meses, o valor do patrocínio da Caixa Econômica Federal. O montante, que já chega a quase R$ 4 milhões, está bloqueado em razão de o Rubro-Negro ter sido inscrito pelo Banco Central (BC) no Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (Cadin). Isto faz com que o clube da Gávea fique inapto a receber recursos públicos.
 
A reportagem do LANCE!Net teve acesso ao sistema do Cadin, que mostra o registro feito há mais de 30 dias, classificando o Flamengo como inadimplente. O BC inscreveu o Rubro-Negro neste cadastro por conta de irregularidades no registro dos valores de algumas negociações internacionais, no período entre 1990 e 1998, como a contratação de Romário, em 1995. O valor histórico da multa é R$ 38.367.280,00, chegando a quase R$ 80 milhões com correções e juros aplicados pelo banco. A maior parte das transações investigadas foi realizada enquanto Kleber Leite presidia o Rubro-Negro.

E MAIS!
> Voo cancelado atrasa chegada de Héctor Canteros ao Flamengo
> Jovem destaca a confiança de Ney Franco para brilhar no Fla
> Fla tem viagem adiada e Ney comandará jogos-treino no CT
> Pouco aproveitado, Digão acerta com América-RN

O Flamengo, na última demostração financeira publicada pelo clube, admite esta dívida, mas não contabilizou os números, por ainda tentar recorrer da decisão para, ao menos, reduzir o valor total. O departamento jurídico do Rubro-Negro entende que algumas das irregularidades já teriam prescrevido. Aliás, dois recursos já foram negados neste ano.

Vale lembrar que não é de hoje que o BC investiga o Flamengo por conta dessas irregularidades. Em 2004, o banco multou o clube em R$ 35 milhões e o inscreveu neste cadastro, o que impediu, na ocasião, a Petrobras de repassar a verba referente ao patrocínio que tinha na Gávea. Outro ponto que cabe destacar é que a inscrição no Cadin não faz com que o clube corra o risco de perder as Certidões Negativas de Débito (CNDs).

O LANCE!Net entrou em contato com a assessoria do Flamengo, que não deu retorno até o fechamento desta edição. A reportagem também tentou contato com o ex-presidente Kleber Leite, mas ele não foi encontrado.