icons.title signature.placeholder Lucas Pastore
13/12/2013
07:30

Neste ano, Oscar Schmidt, ex-jogador brasileiro de basquete, causou polêmica ao atacar os compatriotas que jogam na NBA, que não participaram da campanha ruim da Seleção na Copa América. Quando questionado sobre sua atuação pela equipe nacional, Vlade Divac, atual presidente do Comitê Olímpico Sérvio, adotou discurso semelhante ao do Mão Santa.

- Eu vivia para jogar pela seleção. Questionar a convocação para a seleção na minha geração era impensável. Não víamos isso como um dever, e sim com um privilégio. Claro, essa é minha opinião e todo mundo tem o direito de ter a sua – disse Divac, em entrevista ao LANCE!Net.

Neste ano, entre agosto e setembro, a Seleção Brasileira não conseguiu se classificar para o Mundial ao perder todos os jogos que fez no torneio continental. Os jogadores do país que atuam na NBA, como Anderson Varejão, Nenê e Tiago Splitter, não participaram do torneio. Eles, aliás, arrancaram elogios de Divac.

- Claro que eu os conheço, especialmente Nenê e Varejão. São grandes jogadores. Nos enfrentamos muitas vezes e é sempre um prazer jogar com jogadores deste calibre – disse o sérvio, relembrando os últimos anos de sua carreira.

Oscar também foi exaltado por Divac. De acordo com o ex-jogador europeu, a participação do Mão Santa no basquete europeu foi importante para a modalidade no Velho Continente.

- Oscar Schmidt foi um jogador brilhante, definitivamente um dos melhores do mundo. É claro que eu me lembro dele como jogador e acredito que ele deixou uma marca profunda, especialmente no basquete europeu, e que ele merece ser contemplado no Hall da Fama – declarou Divac, referindo-se à indução do brasileiro no Hall da Fama de Naismith.