icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2013
09:04

Novamente, os discursos no Flamengo não se encaixam. Desta vez, em pauta, a conturbada saída de Renato e justificativas conflitantes. Enquanto Mano Menezes afirmou que, assim que chegou, lhe foi passado pela diretoria que existiam questões graves que poderiam comprometer a permanência do volante no clube, o presidente Eduardo Bandeira de Mello garantiu que a escolha pela rescisão de contrato com ex-camisa 11 foi por questões técnicas.

Na última terça-feira, pela primeira vez, um membro da diretoria rubro-negra falou sobre o caso. O assunto sempre foi tratado com muito cuidado internamente, até mesmo pela alta cúpula. Pelaipe, quando questionado, salientava que esta era "uma questão da diretoria".

Segundo Bandeira de Mello, o que pesou para a decisão de se quebrar o vínculo de Renato foram questões técnicas. O presidente rubro-negro teve um discurso de respeito ao jogador e afirmou não querer criar nenhum tipo de constrangimento, mas, em momento algum, explicou os "problemas graves" citados por Mano outrora.

– Temos um respeito pelo Renato. A decisão de afastá-lo foi do departamento de futebol. Ele deve ser o melhor cobrador de faltas do Brasil, ele tem uma história no Flamengo que deve ser respeitada... A ideia é que não sofra qualquer tipo de constrangimento. Tudo o que combinamos com ele em termos contratuais vai ser cumprido até o último centavo. Ele saiu por questão técnica – disse, ao SporTV.

Como o LANCE!Net já revelou, o Flamengo alegou quatro quesitos para que Renato fosse dispensado de forma unilateral. Entre eles, o fato de o volante ter tirado a camisa após o gol contra o Atlético-PR e uma suposta intervenção em uma discussão que aconteceu no vestiário entre Elias e Hernane, durante o jogo contra o Náutico.

Alegações

"Não tomo decisões sobre acontecimentos que antecedem meu comando. O Flamengo tinha questões que tinham acontecido e as julgava como graves"
Mano Menezes, no dia da apresentação como técnico do Flamengo, em 21 de junho

"A decisão de afastá-lo foi do departamento de futebol. Tudo que combinamos vai ser cumprido até o último centavo. Ele saiu por questão técnica"

Eduardo Bandeira de Mello, em entrevista ao canal SPORTV, na tarde da última terça-feira

Relembre o caso

17/6 - Flamengo, por meio do site oficial, comunica rescisão de contrato de Renato

26/6 - Após impasse nas negociações para a assinatura do contrato que quebraria o vínculo do jogador com o Flamengo, clube cogita reintegração do volante

4/7 - Renato é notificado a voltar ao clube e treinar separadamente do restante do elenco, mas não aceita e procura a Justiça para resolver o caso

12/7 - Evitando que o caso fosse à Justiça, diretoria procurou as partes que defendem o interesse de Renato e fazem uma nova proposta, com um novo parcelamento da dívida, mas Renato não aceita

Novamente, os discursos no Flamengo não se encaixam. Desta vez, em pauta, a conturbada saída de Renato e justificativas conflitantes. Enquanto Mano Menezes afirmou que, assim que chegou, lhe foi passado pela diretoria que existiam questões graves que poderiam comprometer a permanência do volante no clube, o presidente Eduardo Bandeira de Mello garantiu que a escolha pela rescisão de contrato com ex-camisa 11 foi por questões técnicas.

Na última terça-feira, pela primeira vez, um membro da diretoria rubro-negra falou sobre o caso. O assunto sempre foi tratado com muito cuidado internamente, até mesmo pela alta cúpula. Pelaipe, quando questionado, salientava que esta era "uma questão da diretoria".

Segundo Bandeira de Mello, o que pesou para a decisão de se quebrar o vínculo de Renato foram questões técnicas. O presidente rubro-negro teve um discurso de respeito ao jogador e afirmou não querer criar nenhum tipo de constrangimento, mas, em momento algum, explicou os "problemas graves" citados por Mano outrora.

– Temos um respeito pelo Renato. A decisão de afastá-lo foi do departamento de futebol. Ele deve ser o melhor cobrador de faltas do Brasil, ele tem uma história no Flamengo que deve ser respeitada... A ideia é que não sofra qualquer tipo de constrangimento. Tudo o que combinamos com ele em termos contratuais vai ser cumprido até o último centavo. Ele saiu por questão técnica – disse, ao SporTV.

Como o LANCE!Net já revelou, o Flamengo alegou quatro quesitos para que Renato fosse dispensado de forma unilateral. Entre eles, o fato de o volante ter tirado a camisa após o gol contra o Atlético-PR e uma suposta intervenção em uma discussão que aconteceu no vestiário entre Elias e Hernane, durante o jogo contra o Náutico.

Alegações

"Não tomo decisões sobre acontecimentos que antecedem meu comando. O Flamengo tinha questões que tinham acontecido e as julgava como graves"
Mano Menezes, no dia da apresentação como técnico do Flamengo, em 21 de junho

"A decisão de afastá-lo foi do departamento de futebol. Tudo que combinamos vai ser cumprido até o último centavo. Ele saiu por questão técnica"

Eduardo Bandeira de Mello, em entrevista ao canal SPORTV, na tarde da última terça-feira

Relembre o caso

17/6 - Flamengo, por meio do site oficial, comunica rescisão de contrato de Renato

26/6 - Após impasse nas negociações para a assinatura do contrato que quebraria o vínculo do jogador com o Flamengo, clube cogita reintegração do volante

4/7 - Renato é notificado a voltar ao clube e treinar separadamente do restante do elenco, mas não aceita e procura a Justiça para resolver o caso

12/7 - Evitando que o caso fosse à Justiça, diretoria procurou as partes que defendem o interesse de Renato e fazem uma nova proposta, com um novo parcelamento da dívida, mas Renato não aceita