icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/11/2014
17:10

O Jungle Fight 74, realizado na noite deste sábado, no Complexo do Ibirapuera, em São Paulo, consagrou Dirlei "Mão de Pedra" e Júnior Alpha como campeões dos pesos meio-pesados e médios, respectivamente da organização. O grande destaque da noite foi, justamente, a vitória de Alpha, que nocauteou Douglas Bertazini, em pouco mais de um minuto de luta. Já Dirlei precisou dos três rounds para superar os argentino La Maquina e ficar com o título.

- Estou muito feliz por ter conseguido impôr meu jogo. Encontrei uma brecha e joguei o soco. Vi que ele (Douglas Bertazini) ficou meio atordoado e então fui à caça desse nocaute. Graças a Deus consegui, agora é comemorar essa vitória e não largar mais esse cinturão - afirmou o campeão dos médios Júnior Alpha, após a vitória.

Apesar de não ter repetido a atuação do outro campeão da noite, Dirlei "Mão de Pedra" se mostrou satisfeito pelo duelo realizado e pôs a culpa no rival argentino pelo fato da luta ter sido amarrada.

- Fiz minha estratégia em cima do meu ponto forte que é a trocação. Estava pronto para nocautear, mas meu adversário não queria trocar. Então tive que me render a luta agarrada e, automoticamente, a luta ficou mais tempo no chão. Mas o que importa é a vitória e o título conquistado - comemorou Dirlei, o novo detentor do cinturão dos meio-pesados.

O evento começou eletrizante com o duelo entre os pesos-galos (até 57kg) José Alexandre "Reborn" e Danilo Adreani. Punido com a perda de um ponto por ter ficado acima do limite de peso da categoria, Reborn não tinha outra alternativa senão ir para cima. A estratégia deu certo e o lutador conseguiu um belo nocaute, no último round. No entanto, a atuação de Adreani agradou o ex-atleta e presidente do evento, Wallid Ismail, que garantiu uma nova oportunidade a ele.

As três lutas seguintes não empolgaram tanto o público, especialmente, a de Alexandre Turquinho e Zeca Predador. Os lutadores protagonizaram um duelo lento e com pouca ação, que acabou sendo decidido pelos juízes. Melhor para o Predador, considerado o vencedor, por decisão dividida. A sequência do card, no entanto, compensou qualquer possível desânimo. Provando a força do jiu-jitsu brasileiro, Bruno Lopes, Jonathan Bombeiro e Bruno Beirute finalizaram seus respectivos adversários no primeiro round e arrancaram aplausos da torcida.

Júnior Alpha vs Douglas Bertazini

Natural de São Paulo, Douglas Bertazini contava com o apoio da torcida paulista. Porém, foi o baiano Júnior Alpha quem tomou a iniciativa no combate e, logo de cara, acertou um bom chute no corpo do rival. Em seguida, os dois trocaram alguns golpes até que um direto certeiro explodiu no rosto de Douglas, que bambeou. Sentindo o bom momento, Alpha foi para cima e com uma combinação pesada de socos levou o adversário à lona, a 1m06s do primeiro round.

Martin 'La Maquina' vs Dirlei 'Mão de Pedra'

O argentino começou o duelo acertando um direto em Dirlei. Rapidamente, o brasileiro se recuperou e agarrou o adversário junto à grade. Após alguns segundos de força, Dirlei conseguiu a queda e mateve-se a maior parte do round por cima, golpeando.

Dirlei voltou melhor para o segundo round e, logo no início, colocou novamente o argentino de costas no chão. A inatividade fez com que o juíz Alessandro Souza recomeçasse a luta em pé, mas de nada adiantou. O brasileiro tornou a encurralar o rival na grade e após duras joelhadas, conseguiu a queda. O gaúcho manteve-se por cima e terminou o round com amplo domínio.

Na última etapa, a vantagem de Dirlei foi ainda maior. Enquanto o argentino aparentava cansaço físico, o brasileiro continuava andando para frente e acertando bons golpes. Após mais cinco minutos de superioridade, Dirlei foi declarado vencedor, por decisão unânime, e ficou com o cinturão dos meio-pesados do Jungle Fight.

Ring girls dão show à parte

Ao lado de Geisa Vitorino, as ex-BBBs Vanessa Mesquita e Aline Dahlen foram as responsáveis por entreter o público e carregar as placas no intervalo de cada round. E, levando em conta a reação do público, o trabalho foi muito bem aceito. Cada vez que uma das três entrava no cage, as arquibancadas do ginásio Mauro Pinheiro iam ao delírio.

Resultados:

Dirlei Mão de Pedra venceu Matin La Máquina por decisão unânime
Júnior Alpha nocauteou Douglas Bertazini, com 1m6s do 1R
Bruno Beirute finalizou Rodrigo Romano com um mata-leão, aos 2m11s do 1R
Jonathan Bombeiro finalizou José Armoa com mata-leão, com 2m55s do 1R
Bruno Lopes finalizou William Curaçá, com Katagatame, aos 3m06s do 1R
Zeca Predador venceu Alexandre Turquinho por decisão dividida
Quemuel Otoni venceu Carlos Guarda por intervenção médica, aos 2m57s do 3R
Vitor Super Boy venceu Júnior Suicida por decisão unânime
Zé Reborn Alexandre venceu Danilo Adrian por nocaute técnico, aos 42s do 3R