icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
21/12/2013
07:12

A ação de Luiz Antonio contra o Flamengo não caiu bem internamente, mas, ao que tudo indica, ainda há a esperança de fazer com que o volante mude de ideia. Segundo o LANCE!Net apurou, dirigentes rubro-negros, dentre eles, inclusive, o diretor executivo Paulo Pelaipe, têm entrado em contato com pessoas próximas ao camisa 15 em uma tentativa de fazer com que ele volte atrás. Nas conversas, os dirigentes têm tentado demonstrar o quão prejudicial pode ser se o caso for à frente – alegando, entre outros pontos, que seria ruim para a imagem do próprio jogador.

Por outro lado, membros da alta cúpula do clube, nos bastidores, não descartam a possibilidade de a dívida com Luiz Antonio existir, mas não demonstram preocupação com a possível perda do jogador – sem gerar lucros aos cofres – por achar que esta seria causada por conta de erros da gestão passada – Eduardo Bandeira de Mello assumiu a presidência do Flamengo no início deste ano.

Vale ressaltar, porém, que há valores cobrados pelo volante na ação que são referentes a essa temporada, como os bônus de maio a dezembro.

Esses bônus são metas firmadas em contrato em que os jogadores recebem um valor dependendo da quantidade de vezes em que é relacionado no mês. Neste caso, se Luiz Antonio fosse convocado em 60% das partidas no mês, receberia R$ 2 mil. Já se fosse convocado em 80%, R$ 4 mil. As partes que defendem os interesses do volante afirmam que nenhum dos meses foi creditado.

No discurso oficial, a diretoria do Flamengo nega qualquer tipo de dívida com Luiz Antonio e garante que provará isso em júri.

O caso está na 16 vara do Tribunal de Justiça Trabalhista e há uma audiência marcada para 15 de janeiro. A ação chega na casa dos R$ 10 milhões devido à multa compensatória – que bate em quase R$ 8 milhões, equivalente a cerca de 400 vezes o último salário: R$ 20 mil.