icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
02/04/2014
19:53

Ercolino de Luca, vice-presidente de futebol do Vasco, falou sobre o impasse que aconteceu e que quase fez com o treino do time cruz-maltino na tarde desta quarta-feira não acontecesse. Segundo o dirigente, o grande problema era o uso de chuteiras no gramado, o que gerou preocupação na empresa que cuida do campo da Arena da Amazônia, em Manaus.

- O pessoal do gramado não queria liberar com chuteira. O rapaz que representa a empresa que cuida do campo não queria liberar, podia dar problema para o jogo de amanhã (quinta-feira, contra o Resende, pela Copa do Brasil). Mandaram a gente vir que poderia treinar, aí chegamos aqui e brecaram. Não sei o que aconteceu. Foi um erro de comunicação deles - disse Ercolino.

O treino do Vasco no estádio estava marcado para às 16h e só pôde acontecer cerca de 40 minutos depois, quando, após muita conversa, o gramado foi liberado. Os jogadores e comissão técnica da equipe cruz-maltina chegaram a se encaminhar para o vestiário, mas, depois de um curto período, voltaram e realizaram o treinamento, que foi acompanhado por operários que ainda fazem ajustes na Arena da Amazônia, uma das sedes da Copa do Mundo.

Vasco e Resende se encaram às 20h30 (horário de Brasília) na estreia na Copa do Brasil. Este será o terceiro jogo que acontecerá no estádio, que foi inaugurado no começo do mês passado, com um jogo entre Nacional, do Amazonas, e Remo, do Pará.

Na Arena da Amazônia, Vasco terá apoio de ídolo do futebol de areia