icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
05/02/2015
20:51

Valdir Barbosa, gerente de futebol do Cruzeiro, comentou sobre o fato de o clube ter perdido para o Palmeiras a briga para a contratação do meia Cleiton Xavier, que fechou nesta quinta-feira com o clube paulista. O dirigente disse que não considera esta uma derrota, pois o jogador tem direito de escolha e foi isso que aconteceu.

- Procuramos o Cleiton Xavier e sempre falamos para a imprensa que tínhamos interesse nele e estávamos na briga com o Palmeiras e com o Flamengo para tê-lo. Mas o jogador optou por ouvir primeiro o Palmeiras, que foi onde ele começou a carreira. E decidiu rapidamente pelo time paulista. Agora vamos partir para outra. E não consideramos que ter perdido este jogador tenha sido uma derrota, pois todo atleta tem opção de escolher onde quer jogar - afirmou.

Agora, o clube celeste volta à estaca zero quanto ao nome do substituto de Éverton Ribeiro. O que pega é que há poucos nomes que se encaixe no perfil que o Cruzeiro quer: de alta qualidade e disponível no mercado.

- A gente vai tentando. É uma posição escassa. Tem vários jogadores no mercado, mas precisa ser um de qualidade. Estamos trabalhando com o presindete Gilvan de Pinho, que está de plantão neste assunto. Estamos observando jogadores e nomes que conhecemos e rastreamos também a Europa, observando quem pode estar sem contrato. Mas nesse momento quase ninguém está nesta situação.

Um nome que o Cruzeiro descarta é o de Gedoz. De Arrascaeta vem fazendo um grande lobby pelo seu ex-companheiro no Defensor. No entanto, como o atacante pertence ao Brugge, clube belga que o contratou recentemente, o seu valor é inviável.

- Gedoz é bom, mas esta fora da realidade. Quando vem da Europa para cá é diferente. Eles pedem um dinheiro quase impagável. Nós sabemos que o De Arrascaeta gosta muito de jogar com o Gedoz, que eles são amigos e que ele adoraria de contar com o seu parceiro favorito em campo. Mas o Cruzeiro não pode sair do seu patamar, do seu teto - afirmou.