icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
11/11/2014
14:54

O diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, disparou críticas à maneira como foi conduzida a questão do impasse da carga disponibilizada para visitantes na partida de ida contra o Atlético-MG, no Independência. Em entrevista ao programa "Fox Sports Radio", nesta terça-feira, o dirigente não poupou sequer a Polícia Militar, que mais cedo  estabeleceu em 1.871 ingressos a cota de cruzeirenses (8%) - recusada pelo clube celeste.

- Com todo respeito à competentíssima Polícia Militar de Minas Gerais, mas ela não determina o número de ingressos para visitantes. Ela pode ver o espaço disponível no estádio, dizer que não cabem 2,3 mil pessoas. Mas para determinar que irão 1,2 mil pessoas, que vai uma pessoa, vão 2 mil, ela não tem competência. A gente não quer ser passado para trás.

Em seguida, o diretor de futebol reforçou que a hipótese de as duas finais serem disputadas com o Mineirão dividido seria aceita pela Raposa:

- O Cruzeiro aceita jogar com torcida meio a meio. Quem saiu do Mineirão foi o Atlético-MG, que fique claro. O Cruzeiro entende que o Mineirão é sua casa, mas nós entendemos a decisão do Atlético-MG, porque cada um sabe o que necessita.

Inicialmente, a diretoria do Galo esperava a confirmação da diretoria da Raposa para iniciar as vendas para o setor visitante ainda nesta terça-feira. A nota oficial da Raposa selou o jogo com torcida única.