icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Marcelo Braga
14/11/2013
07:06

Embora o veterano Léo, de 38 anos de idade, esteja chateado com a diretoria do Santos e diga com ironia que não há o interesse deles em fazer um jogo de despedida após o término do seu contrato, em 31 de dezembro, o clube propôs uma festa de "adeus" ao jogador santista.

A sugestão foi feita em setembro, na mesma reunião solicitada pelo próprio atleta em que a diretoria alvinegra disse ao seu advogado – sem a presença dele – que não tinha interesse em renovar o vínculo dele por mais seis meses, como ele sugeria. A ideia do ex-lateral-esquerdo e hoje meia, que tem oito títulos pelo clube, era se despedir durante o Campeonato Paulista. Por decisão técnica, porém, o presidente em exercício Odílio Rodrigues e os demais membros do departamento de futebol disseram que já era a hora de o Guerreiro parar de jogar.

No mesmo papo, solicitaram ao advogado que perguntasse para o atleta se eles já poderiam começar a organizar a festa do adeus. Questionado sobre isso, porém, Léo afirmou que ainda não havia decidido se encerraria a carreira e pediu um tempo para pensar. Em outubro, porém, passou por uma cirurgia.

Muito próximo do presidente licenciado Luis Alvaro Ribeiro, o jogador se sente tratado com frieza pela atual diretoria. Para mudar essa impressão e passar a limpo a situação, os atuais dirigentes do Peixe devem procurá-lo para uma conversa cara a cara nos próximos dias para lhe apresentar as ideias que hoje existem para a sua despedida.

Apesar da boa intenção, até o momento não existe nenhum planejamento feito para o duelo festivo. Fernando Montanha, gerente de marketing do clube, diz que espera uma definição das partes. Mas promete algo marcante para Léo.

– O Léo é um grande ídolo do clube e merece esse jogo. Quando ele decidir se aposentar e tiver uma conversa com o pessoal do futebol, aí sim o marketing começará a preparar essa festa. Tenho certeza que faremos uma bonita homenagem – afirmou Montanha, ao LANCE!Net.