icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
icons.title signature.placeholder Guilherme Palenzuela
05/07/2013
16:52

O São Paulo quer definir o novo treinador em pouco tempo. A intenção da diretoria tricolor é anunciar o substituto de Ney Franco até a próxima terça-feira, já para dirigir o time diante do Bahia, quarta-feira, no Morumbi. Muricy Ramalho é o nome mais forte para chegar.

Tricampeão brasileiro pelo São Paulo de 2006 a 2008, o treinador está desempregado. Questionado sobre o possível retorno de Muricy, João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, respondeu da seguinte forma:

- Muricy é um filho do São Paulo. Obviamente, por isso, é um nome que faz parte da nossa lista de interesse. Mas não falamos nada disso ainda.

Muricy deu entrevista para o programa Papo com Benja, da LANCE!TV, na última quinta-feira e indicou que um acerto com Juvenal Juvêncio não demoraria a acontecer, já que o técnico sempre negociou rapidamente com o presidente. Mas o treinador também deixou claro que respeitava Ney Franco e, por isso, não conversaria com ninguém do clube enquanto o colega estivesse empregado.

Quando estava no Santos, Muricy ganhava cerca de R$ 700 mil mensais. Valor que o Tricolor não costuma pagar a seus atletas. O teto do clube gira em torno de R$ 300 mil.

- Isso não é problema no São Paulo. Até porque todos sabem que temos um teto salarial. Muricy nunca esteve fora de cogitação. Ele tem inúmeras qualidades, que nos agradam - disse Jesus Lopes.

Neste domingo, contra o Santos, quem ficará no banco de reservas do Tricolor é o coordenador-técnico Milton Cruz. Ele costuma dirigir a equipe interinamente quando há trocas no comando do time.

Ao Benja, Muricy elogia Juvenal e indica que acertaria em dois minutos

O São Paulo quer definir o novo treinador em pouco tempo. A intenção da diretoria tricolor é anunciar o substituto de Ney Franco até a próxima terça-feira, já para dirigir o time diante do Bahia, quarta-feira, no Morumbi. Muricy Ramalho é o nome mais forte para chegar.

Tricampeão brasileiro pelo São Paulo de 2006 a 2008, o treinador está desempregado. Questionado sobre o possível retorno de Muricy, João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, respondeu da seguinte forma:

- Muricy é um filho do São Paulo. Obviamente, por isso, é um nome que faz parte da nossa lista de interesse. Mas não falamos nada disso ainda.

Muricy deu entrevista para o programa Papo com Benja, da LANCE!TV, na última quinta-feira e indicou que um acerto com Juvenal Juvêncio não demoraria a acontecer, já que o técnico sempre negociou rapidamente com o presidente. Mas o treinador também deixou claro que respeitava Ney Franco e, por isso, não conversaria com ninguém do clube enquanto o colega estivesse empregado.

Quando estava no Santos, Muricy ganhava cerca de R$ 700 mil mensais. Valor que o Tricolor não costuma pagar a seus atletas. O teto do clube gira em torno de R$ 300 mil.

- Isso não é problema no São Paulo. Até porque todos sabem que temos um teto salarial. Muricy nunca esteve fora de cogitação. Ele tem inúmeras qualidades, que nos agradam - disse Jesus Lopes.

Neste domingo, contra o Santos, quem ficará no banco de reservas do Tricolor é o coordenador-técnico Milton Cruz. Ele costuma dirigir a equipe interinamente quando há trocas no comando do time.

Ao Benja, Muricy elogia Juvenal e indica que acertaria em dois minutos