icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/04/2014
09:06

Muito se fala que, além da reformulação, a ordem no Corinthians era também diminuir a folha de pagamento do elenco, que terminou 2013 custando cerca de R$ 9 milhões. Diretor de futebol do Timão desde o dia 16 de janeiro de 2014, Ronaldo Ximenes explica que o plano alvinegro não era necessariamente só economizar dinheiro.

Em entrevista coletiva, o dirigente revelou que, a ideia, desde o começo, é realocar as finanças em outros jogadores, já que a própria diretoria e comissão técnica chegaram à conclusão que era hora de mudar vários atletas do elenco. Neste meio tempo, Alexandre Pato (São Paulo), Douglas (Vasco), Paulo André (Shanghai Greenland-CHI) e Ibson (Bologna-ITA) deixaram o Parque São Jorge. Emerson Sheik e Rodriguinho, ao que tudo indica, são os próximos, para Botafogo e Fluminense respectivamente.

- Sempre quis deixar muito claro que o nosso objetivo não era poupar ou diminuir a folha salarial. O Corinthians quer ter um time competitivo que busque títulos. No Brasil, para ter um time competitivo que busca títulos, você precisa ter jogadores que felizmente ou infelizmente são caros. Nunca adotei o discurso do poupar, mas sim realocar recursos para colocar aquilo que era mais interessante no momento. Realocamos o dinheiro de alguns jogadores que não estavam sendo aproveitados para o Elias, por exemplo - explicou.

- Muita gente tentou confundir: "Olha só antes gastava demais...". Mas meu antecessor gastou aquilo que era necessário para ganhar cinco títulos. Como posso comparar com Roberto de Andrade e Duílio Monteiro Alves, os diretores mais vencedores da história do Corinthians? Não é poupar... É poupar para aplicar de uma outra maneira - completou.

Emerson Sheik, para o Botafogo, e Rodriguinho, para o Fluminense, devem ser os próximos da lista. Enquanto isso, tirando Elias, o Timão contratou jogadores mais baratos, como Ferrugem (ex-Ponte Preta) e Petros (ex-Penapolense). Cabe mais uma estrela no elenco?