icons.title signature.placeholder Bruno Andrade e Felipe Bolguese
11/12/2013
13:12


"Inviáveis". Este foi o termo usado por Roberto de Andrade, diretor de futebol do Corinthians, para analisar as possíveis contratações do volante Elias, do Flamengo, e do atacante Marcelo, do Atlético-PR. Em entrevista coletiva concedida no CT Joaquim Grava, nesta quarta-feira à tarde, o dirigente ressaltou que o Timão vai ter "pés no chão" na tentiva de reforçar o elenco para 2014

- A contratação do Marcelo é inviável. Os números são inviáveis - declarou Roberto, que, momentos antes, anunciou a chegada do técnico Mano Menezes.

- O Corinthians também não vai trazer o Elias, os números são inviáveis. O jogador vale isso, mas temos uma postura de pés no chão. Não faremos loucura por ninguém - complementou.

Emprestado pelo Sporting (POR) ao Flamengo até o fim do ano, Elias ainda tem futuro incerto. O jogador, que declarou publicamente nesta semana que deve assinar um novo vínculo com clube carioca até o próximo dia 14, pediu R$ 500 mil por mês para voltar ao Timão. Os números não agradaram. Para piorar, a diretoria alvinegra também se assustou com o preço pedido pelos portugueses para negociar 50% dos direitos econômicos do atleta: quatro milhões de euros (R$ 12,1 milhões). Os outros 50% pertencem ao próprio Elias.

Apesar de rechaçar também a contratação de Marcelo, o Corinthians não desistiu da negociação. Para isso, o clube tem conversado com dois grupos de investidores, conforme a coluna De Prima, do LANCE!Net revelou na última terça-feira, para conseguir R$ 10 milhões para fechar com o jogador. Desejo antigo do clube, o atacante foi aprovado por Mano Menezes.

Na coletiva, Roberto de Andrade confirmou conversas com os laterais Rafinha, do Bayern de Munique (ALE) e Uendel, da Ponte Preta.