icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/11/2013
14:02

Com "as futuras necessidades do elenco muito bem detectadas", segundo o gerente de futebol Edu Gaspar, o Corinthians deve encerrar a temporada de 2013 sem brigar por vaga na Libertadores ou contra o rebaixamento, sendo mínimas as projeções matemáticas nos dois casos. A seis rodadas do encerramento do Brasileirão, o diretor de futebol do clube, Roberto de Andrade, não poupou o elenco das críticas, mas também fez um mea-culpa em relação à temporada, marcada mais pelos protestos da torcida e pelo "fim de linha" de alguns jogadores do que pelos títulos do Paulistão e da Recopa Sul-americana.

- Tem de melhorar. Com o time custando o que custa, ficar no meio da tabela não dá. Mas não vejo final de ciclo desse grupo. Dentro de um elenco, você traz duas ou três peças e muda tudo, dá um dinamismo, uma rapidez, um raciocínio rápido. Isso que vamos procurar fazer para o ano que vem - explicou o dirigente corintiano.

Líder em arrecadação no Brasil, o Corinthians tem feito investimentos altos nas últimas janelas de transferências, tendo desembolsado cerca de R$ 60 milhões para as recentes contratações de Gil, Renato Augusto e Alexandre Pato. Apesar dos reforços, o Timão ocupa apenas a 12ª colocação do Brasileirão, tendo perdido Paulinho para o Tottenham, em junho, por R$ 59 milhões.

- Não tem explicação. Sabemos que o elenco era para estar em uma situação muito melhor, mas existem diversos fatores: uma queda de nível técnico, de nível físico, a perda de alguns jogadores ao longo do campeonato, as reposições que não foram tão boas quanto a gente esperava... tudo isso acaba refletindo no resultado. Agora tem de esperar acabar o ano, não tem jeito de definir o ano que vem - analisou Roberto de Andrade, assumindo parte da responsabilidade no mau momento do Timão.