icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
23/06/2014
20:18

Melhor anfitrião não há. A Red Bull pagou a reforma do circuito que batiza, as taxas cobradas por Bernie Ecclestone para a realização do GP da Áustria e teve, de quebra, seu pior desempenho desde a abertura da temporada: apenas quatro pontos com o oitavo lugar com Daniel Ricciardo, com Sebastian Vettel abandonando depois de um problema elétrico com o carro.

A humilhação “em casa” teve consequências. O chefe do time Christian Horner fez duras críticas à Renault, fornecedora de motores da equipe anglo-austríaca. O problema de Vettel durante a corrida - uma perda repentina de potência que o fez perder uma volta logo no início da prova - foi mais um para a longa lista de incidentes relacionados ao motor que vêm atrapalhando a Red Bull neste ano.

- É frustrante estar nesta situação. A confiabilidade e a performance não são aceitáveis. É preciso haver uma mudança na Renault, não dá para continuar assim. Todas as corridas e campeonatos que vencemos foi com ele, mas a situação simplesmente não está melhorando - comentou Horner.

Bob Bell, chefe esportivo da Renault na F-1, disse entender a frustração do parceiro, mas garantiu um crescimento na performance dos motores da marca.

- A frustração dele vem de um resultado que não atende ao potencial total do carro e do motor, o que é completamente compreensível para nós. Mas estamos totalmente comprometidos em progredir o mais rápido possível e sabemos qual a expectativa da Red Bull em termos de resultado - disse Bell.

Para completar o final de semana desastroso, a Red Bull ainda teve de engolir uma peça publicitária provocativa da Mercedes publicada na imprensa europeia ontem, com a frase “Flechas de prata te dão asas”, usando o slogan da fabricante de energéticos.

O clima entre a direção das duas equipes não é dos melhores desde que a Red Bull exigiu uma punição severa para a Mercedes depois do teste de pneus secreto feito por este no ano passado.