icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/02/2015
11:38

Embora Anderson Silva ainda não tenha anunciado se vai ou não entrar com o pedido de contraprova do teste positivo que apontou substâncias ilegais como anabolizantes em exame realizado no dia 9 de janeiro, antes de sua vitória contra Nick Diaz pelo UFC 183, Daniel Eichner, diretor do Sports Medicine Research & Testing Laboratory (SMRTL), laboratório licenciado pela Wada que é localizado em Salt Lake City, Utah (EUA), esclareceu que as chances de o resultado estar errado são mínimas.   

- Elas (as amostras) chegam sem identificação. Não vemos os nomes dos atletas, nem sequer do evento, recebemos apenas um número de identificação. Então, passamos a amostra em testes para diferentes substâncias proibidas (...) Alguns exames demoram mais que outros. Alguns demoram só três dias para o teste e mais três dias para a confirmação. Quando encontramos a presença de mais de uma droga, isso faz com que o teste leve ainda mais tempo - explicou o diretor, em entrevista ao Spor TV News.

Sobre as substâncias encontradas no organismo de Spider, Eichner afirmou que tais drogas ajuda em recuperações de lesões - o que se encaixaria no caso do lutador - e também servem para aumentar o rendimentos nos treinos e a massa muscular.

- São agentes fantásticos para a recuperação de lesões, para aumentar o treinamento e, às vezes, para aumentar a massa muscular também - concluiu.