icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/07/2013
17:35

Adalberto Baptista, diretor de futebol do São Paulo, discorda da opinião de Rogério Ceni, que afirmou que o clube parou no tempo. Durante o treinamento desta quinta-feira, o dirigente foi questionado sobre a declaração do goleiro, dada após a derrota para o Corinthians, a sexta consecutiva da equipe. Para o dirigente, o capitão do time respondeu de cabeça quente e não vive grande momento nas reposições de bola por conta da lesão no pé direito.

- Eu gosto de analisar as manifestações quando são feitas de cabeça mais fria. Disseram ontem que ele havia brigado com o Luis Fabiano, o que não é verdade. Todos sabem que ele (Rogério) está em vias de se aposentar e que gostaria de terminar o ano com algum título. Todos sabem que ele tem uma lesão e que ainda sente dores no pé. Isso ainda o dificulta em seu ponto forte, que são as jogadas com o pé, a reposição de bola, todos veem que ele está com essa deficiência, inclusive pela dor no pé. Então acho que a gente precisa analisar as coisas mais friamente, sem emoção e no calor da derrota para um rival - declarou o diretor.

Rogério ainda sente dores no pé direito desde o choque com Alexandre Pato, na partida contra o Corinthians, pela primeira fase do Paulistão. Perguntado novamente se concordava que o clube estava parado no tempo, Adalberto respondeu:

- Eu não concordo. É só vocês virarem as câmeras e olharem a evolução da nossa estrutura, da nossa estrutura de base, as evoluções profissionais, a evolução na qualificação dos profissionais dentro do clube. Eu não ouvi o Rogério falar que o São Paulo parou no tempo de forma administrativa, acho que não é esse o viés que ele quis manifestar - completou.

O São Paulo não vence há nove partidas. No próximo sábado, a equipe retorna a campo para enfrentar o Cruzeiro, no Morumbi. Paulo Autuori comandou a equipe em dois jogos e sofreu duas derrotas.

Parado no tempo? L!TV analisa situação do São Paulo

Adalberto Baptista, diretor de futebol do São Paulo, discorda da opinião de Rogério Ceni, que afirmou que o clube parou no tempo. Durante o treinamento desta quinta-feira, o dirigente foi questionado sobre a declaração do goleiro, dada após a derrota para o Corinthians, a sexta consecutiva da equipe. Para o dirigente, o capitão do time respondeu de cabeça quente e não vive grande momento nas reposições de bola por conta da lesão no pé direito.

- Eu gosto de analisar as manifestações quando são feitas de cabeça mais fria. Disseram ontem que ele havia brigado com o Luis Fabiano, o que não é verdade. Todos sabem que ele (Rogério) está em vias de se aposentar e que gostaria de terminar o ano com algum título. Todos sabem que ele tem uma lesão e que ainda sente dores no pé. Isso ainda o dificulta em seu ponto forte, que são as jogadas com o pé, a reposição de bola, todos veem que ele está com essa deficiência, inclusive pela dor no pé. Então acho que a gente precisa analisar as coisas mais friamente, sem emoção e no calor da derrota para um rival - declarou o diretor.

Rogério ainda sente dores no pé direito desde o choque com Alexandre Pato, na partida contra o Corinthians, pela primeira fase do Paulistão. Perguntado novamente se concordava que o clube estava parado no tempo, Adalberto respondeu:

- Eu não concordo. É só vocês virarem as câmeras e olharem a evolução da nossa estrutura, da nossa estrutura de base, as evoluções profissionais, a evolução na qualificação dos profissionais dentro do clube. Eu não ouvi o Rogério falar que o São Paulo parou no tempo de forma administrativa, acho que não é esse o viés que ele quis manifestar - completou.

O São Paulo não vence há nove partidas. No próximo sábado, a equipe retorna a campo para enfrentar o Cruzeiro, no Morumbi. Paulo Autuori comandou a equipe em dois jogos e sofreu duas derrotas.

Parado no tempo? L!TV analisa situação do São Paulo