icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/02/2015
17:57

A Premier League anunciou o seu histórico novo contrato de televisão nesta terça-feira. Pelas temporadas de 2016/17, 2017/18 e 2018/19, a Sky Sports e a BT Sports vão pagar mais de 5 bilhões de libras, o que representa mais de R$ 22 bilhões. Se pensar na valorização, os números "assustam" ainda mais. Desde que o Campeonato Inglês renasceu em 1992, já há um aumento de 2689% na arrecadação com os direitos de TV. Ainda assim, perde para a NFL e a NBA.

Quando a Premier League foi criada em 1992, os direitos de televisão foram vendidos pela primeira vez, foram pagos 191 milhões de libras (R$ 825 milhões) para as cinco temporadas seguintes. Depois o novo contrato iria de 1997 até 2001, e o valor subiu para 670 milhões de libras (R$ 2,89 bilhões). De 2001 a 2004, o período de contrato passou para triênios, e pela primeira vez o acordo passou a casa do bilhão, chegando a 1,2 bilhão de libras (R$ 5,18 bilhões).

Arsenal é um dos clubes mais tradicionais da Inglaterra (Foto: Ian Kington/AFP)

Para o triênio seguinte, de 2004 a 2007, porém, teve uma queda. A Premier League recebeu 1,024 bilhão (R$ 4,425 bilhões) pelos seus jogos. Mas de lá para cá, foi só subir. Entre 2007 e 2013 quase não houve mudanças. No primeiro período foi 1,706 bilhão (R$ 7,37 bilhões), e no segundo 1,773 bilhão (R$ 7,662 bilhões). Nos seguintes as subidas foram impressionantes.

No atual contrato, que começou em 2013 e vai até 2016, a Premier League já fez o acordo com a Sky e a BT, e recebe 3,018 bilhões de libras (R$ 13,04 bilhões). Até enfim chegar no atual número.

E detalhe: nem todos os jogos da Premier League estão no pacote. Apenas 168 dos 380 serão televisionados na Grã-Bretanha pelas duas emissoras. A Sky vai transmitir 126, enquanto a concorrente vai ter direito aos outros 42.

Super Bowl é campeão de audiência nos Estados Unidos (Foto: AFP)

Mesmo com o novo contrato recorde no futebol, a Premier League não alcançou os números do futebol americano e do basquete dos Estados Unidos. O atual contrato da NFL, vigente desde 2014 e que vai até 2022, garante um valor de US$ 39,6 bilhões (R$ 112,2 bilhões), o que representa pouco menos do dobro do Campeonato Inglês por ano. Já a NBA fechou um novo acordo que começa em 2016 e durará por nove anos no valor de US$ 24 bilhões (R$ 68 bilhões).