icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
13/11/2014
16:04

A partir do dia 30 de novembro Roberto Dinamite encerra um ciclo de seis anos na presidência do Vasco. Durante sua administração, o clube de São Januário sofreu com dois rebaixamentos para a Série B - caiu em 2008 e 2013 - e conquistou um título de Copa do Brasil, em 2011. Com um segundo mandato muito contestado pelos vascaínos, Roberto Dinamite acredita que o principal legado de sua administração no clube tenha sido a redemocratização do Cruz-Maltino. Em entrevista à Rádio Brasil, o mandatário espera que essa filosofia continue na próxima gestão.

- O clube vive hoje um momento que você precisa, mais do que nunca, esticar a bandeira de redemocratização do clube. Foi positivo na recuperação da credibilidade do Vasco e também nesse aspecto. É claro que o torcedor, de um modo geral, fica muito chateado com a segunda divisão. Eu também fico. Espero que daqui para frente o clube continue de forma democrática, que as pessoas tenham liberdade para criticar, fazer sua avaliação... isso foi algo positivo. Espero que continue, espero que as pessoas possam externar as coisas. Eu fui elogiado, criticado em muitos momentos. Acho que isso faz parte do jogo - explicou Roberto Dinamite.

O ídolo vascaíno nos gramados aproveiou também para afirmar que durante sua gestão as pastas sempre tiveram total autonomia para resolver questões de interesse da instituição Vasco da Gama.

- O regime, apesar de presidencialista, cada pessoa tinha responsabilidades por suas pastas para defender o que é de interesse do Vasco. Ai quem perdeu, quem foi para a segunda divisão, quem não pagou, foi o presidente. Essas coisas fazem parte do jogo. Acertamos e erramos, isso faz parte de qualquer administração. Mas sempre buscamos o melhor para a vida do Vasco - concluiu.