icons.title signature.placeholder Michel Castellar
07/07/2014
13:32

A empolgação da presidente Dilma Rousseff com a realização da Copa no Brasil é tanta que ela já até cogitou uma nova edição brasileira para a próxima década. No fim da manhã desta segunda-feira, por uma hora, ela conversou com internautas na página de relacionamentos do Palácio do Planalto, no Facebook, e respondeu a várias questões.

- Talvez, na próxima década. Ainda bem que teremos Olimpíadas e Paraolimpíada (sic) em 2016 - escreveu Dilma, ao responder à internauta Jessica Domingos que a  inquiriu sobre a realização de uma nova Copa.

Em várias respostas, Dilma estava descontraída, confirmou que irá entregar a taça ao campeão, no Maracanã, e ressaltou ser ossos do ofício a possibilidade de passar por um novo constrangimento e ser vaiada, como ocorreu na abertura do Mundial, em São Paulo. Mais uma vez, prestou solidariedade ao atacante Neymar e aceitou, inclusive, ser fotografada fazendo o "Tois", um gesto que significa "é nós", feito pelo atleta em comemorações de gols e uma expressão por ele usada na rede social.

Dilma disse que somente o técnico da Seleção, Luiz Felipe Scolari, sabe quem substituirá Neymar e não quis arriscar um placar para o confronto de terça-feira, contra os alemães. Afirmou apenas que deseja uma vitória e, da mesma maneira, preferiu não escolher um adversário para a grande final, no Maracanã.

- Não é uma questão de muro, mas de prudência: não escolho adversário - respondeu Dilma, ao ser indagada pelo internauta Wes Nunes: "Prefere enfrentar quem na final, Argentina ou Holanda? Sem ficar em cima do muro, presidenta. Haha!"

A presidente ainda palpitou sobre qual o gol mais bonito da Copa do Mundo. E citou: dos marcados pela Seleção, o de falta feito por David Luiz, o segundo da vitória por 2 a 1, pelas quartas de final, e das demais equipes, o gol do atacante Van Persie, o primeiro da goleada holandesa, por 5 a 1, contra a Espanha, pela fase de grupos.