icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
02/07/2014
08:05

A Alemanha conquistou a vaga para encarar a França pelas quartas de final da Copa do Mundo, nesta sexta-feira, no Maracanã, com mais ressalvas do que comemorações. Apesar de todas as grandes seleções terem sofrido nas oitavas de final – os alemães só venceram a Argélia por 2 a 1 na prorrogação –, a equipe de Joachim Löw soma mais problemas do que soluções desde o início desta Copa.

As maiores críticas são para o setor defensivo e o meio de campo. Löw tem optado por quatro zagueiros, sendo Boateng e Höwedes improvisados, respectivamente, nas laterais direita e esquerda. Boateng já sofreu lesões na coxa e joelho esquerdos, e o zagueiro Hummels já sentiu lesão na coxa direita e foi desfalque do último jogo por conta de uma gripe. O zagueiro Mustafi, que entrou em três partidas como lateral-direito e, assim, Boateng foi para a zaga, sua posição de origem, está fora do Mundial por lesão.

Uma das soluções apontadas seria voltar Phillip Lahm para a lateral direita. O treinador não cede à pressão e mantém seu capitão como volante, como ele atua desde o fim do ano passado pelo Bayern de Munique de Pep Guardiola. Com isso, teria apenas um "meia bomba" na zaga (Boateng ou Hummels). E o principal: haveria espaço para Khedira e Schweinsteiger juntos no meio. Até agora, um dos dois ficou no banco.


Com Lahm no meio, Khedira ou Schweinsteiger fica no banco (Foto: Javier Soriano/AFP)

Na parte ofensiva, Özil tem pecado como o criador das jogadas. Só Müller está resolvendo. Já Klose, quando atuou por 45 minutos diante dos Estados Unidos, mal pegou na bola e nem entrou no último jogo.

A Alemanha de Löw ainda tem muito a resolver até sexta-feira...

OS DILEMAS DE LÖW

A zaga
É um setor que preocupa. Hummels pegou forte gripe e ficou fora contra a Argélia. O seu substituto, Mustafi, lesionou-se. Boateng já teve três lesões nesta Copa e não está 100%. E Höwedes, assim como Boateng, está improvisado na lateral.


Chamado às pressas, Mustafi está fora da Copa (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

Meio
Lahm como volante tem sido uma das convicções da comissão técnica. Mas isso faz com que Khedira ou Schweinsteiger fique no banco. E o capitão na direita resolveria em parte o problema do improviso.

Klose
Experiente atacante nem sequer entrou na partida contra Argélia. Com isso, perdeu a chance de atingir o recorde de jogos na Copa pela seleção, que seguira com o ex-capitão Lothar Matthäus.

Özil
Apesar de ter feito gol contra a Argélia, ele faz uma péssima Copa. A criação da Alemanha sofreu muito nos jogos por conta de sua ineficiência. Mas o treinador tem bancado o jogador, mesmo sempre pressionado pela imprensa nas coletivas.


Apesar de marcar contra Argélia, Ozil não vem fazendo boa Copa (Foto: Patrik Stollarz/ AFP)

LESÕES TAMBÉM ATRAPALHAM LÖW

Após ser substituído no segundo tempo da vitória sobre a Argélia, na última segunda-feira, o zagueiro Shkodran Mustafi recebeu a pior notícia que poderia na Copa. Com uma lesão muscular na coxa esquerda, ele não terá mais condições de atuar no Mundial. 

Curiosamente, o jogador só entrou na lista dos 23 convocados porque a Alemanha perdeu o meia Marco Reus por lesão. O craque do Borussia Dortmund (ALE), que era apontado como o principal destaque da seleção, rompeu os ligamentos do tornozelo esquerdo em um amistoso diante da Armênia, a dois dias da viagem para o Brasil. Com isso, Mustafi com chamado no lugar.


Reus foi cortado dois dias antes da Alemanha embarcar para o Brasil (Foto: Daniel Roland/AFP)

Antes da Copa, outros jogadores importantes também ficaram impossibilitados de atuar. O lateral-esquerdo Marcel Schmelzer, do Borussia Dortmund (ALE), chegou a fazer parte da preparação, mas uma lesão no joelho esquerdo acabou com seu sonho de disputa.

O zagueiro Badstuber, os meias Bender e Gündogan e o experiente atacante Mario Gómez foram outros jogadores alemães que se prejudicaram por não estarem em boas condições clínicas.