icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
14/11/2014
08:02

Revelado em uma safra na qual também despontou Robinho, Diego sabe muito bem a expectativa gerada sob qualquer revelação que surge na Vila Belmiro. Depois de acompanhar Paulo Henrique Ganso e Neymar como sucessores da dupla campeã brasileira em 2002, o meia do Fenerbahçe também projeta sucesso para Geuvânio e Gabriel, mas faz um alerta.

Mais maduro e há dez anos no futebol europeu, Diego pede cuidado quando são feitas comparações com promessas anteriores.

- Pode atrapalhar se eles não souberem administrar. Só isto. Por um lado é prazeroso ser comparado a grandes jogadores, mas tem de saber que cada um viveu seu momento e para alcançar a glória ele precisa de muito trabalho e dedicação. Se souber levar este tipo de comparação, que é inevitável, principalmente no Santos, pode acabar ajudando - destacou.

Apesar da distância, o ex-santista acompanha o Peixe e fez elogios aos novos valores, que ganharam uma sequência maior nesta temporada. Ele acredita, porém, que Geuvânio e Gabriel poderão ainda mostrar melhor futebol a partir de uma melhor sequência do próprio time.

- Vi alguns jogos e eles mostraram muito potencial. Têm jogado bem. Depende também da equipe e do momento. O fundamental é você ganhar quando vive bom momento porque aí as pessoas passam a falar mais. São jogadores que acredito que com o tempo vão ser grandes referências no Brasil - apostou o meia.

Na mira do Santos nas duas últimas temporadas, Diego é bem sincero quando questionado sobre um possível retorno ao clube de coração. Ainda com planos de continuar no futebol europeu e cumprir o contrato com o Fenerbahçe, o jogador é cautelosa, mas demonstra todo o carinho com o Peixe.

- Procuro tratar com muito cuidado isso até pelo respeito que tenho. Não quero iludir, mas quero ser sincero com todos. Podem sempre esperar porque o Santos é minha casa e tenho carinho muito grande. Se um dia tiver a chance de voltar ao clube não será uma alegria só para eles, mas também para mim . Vamos com calma - pediu o jogador.