icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
10/06/2014
09:45

Diego Costa foi um grande personagem do futebol na temporada passada. Artilheiro e destaque do Atlético de Madrid na conquista do Campeonato Espanhol, ele foi alvo de uma batalha entre Brasil e Espanha, que gostariam de contar com seu futebol na Copa. Escolheu a Fúria, só disputou dois amistosos até agora e não teve desempenho satisfatório. Sua adaptação ao esquema de jogo parece difícil, e os rivais na briga pela vaga estão ganhando espaço.

A Espanha está acostumada ao tiki-taka, estilo de jogo difundido pelo Barcelona, na qual a posse de bola é fundamental para o domínio do jogo. Porém, Diego Costa é um jogador de área, não tem tanta eficiência quando sai para buscar a bola. E aí aparecem as dificuldades.

Com um centroavante fixo, o time do técnico Vicente del Bosque perde em movimentação e precisa mudar seu jogo. Para piorar a situação de Diego, seu substituto imediato, David Villa, faz bem esse papel de sair da área e se movimentar pelos lados do campo para dar opções aos meias, além de ser o maior artilheiro da Espanha, com 58 gols.

Em entrevista recente na Espanha, Del Bosque deixou claro que a posse de bola sem profundidade não tem sentido, o que mostra a ideia do treinador de montar uma equipe que consiga realizar o tiki-taka, mas sem maiores dificuldades de penetrar na área adversária e furar as possíveis retrancas.

Pare Diego Costa permanecer na equipe, Del Bosque tem algumas opções. Montar um meio de campo com David Silva, Iniesta e Xavi na armação, jogando apenas com um volante, e deixar Pedro aberto pelos lados do campo. Dessa forma, com o hispano-brasileiro no ataque, o setor ofensivo da Fúria contaria com cinco jogadores. Se abrir mão de Diego, Villa e Fàbregas e Torres brigam por esta vaga.

Quem está de olho em uma vaga na equipe titular é David Silva, que não descartar atuar como atacante. Porém, ele afirma que sua preferência é atuar como meia, encostando nos atacantes.

- É mais fácil para mim jogar atrás dos atacantes. Me encontro melhor jogando nesta posição. Mas é bom lembrar que aqui já joguei em várias posições (meia, atacante e falso camisa 9). Temos bons atacantes, com qualquer um é fácil jogar - disse David Silva em entrevista coletiva em Curitiba.