icons.title signature.placeholder Aurino Leite, Daniel Guimarães e Guto Mariano
08/03/2014
13:07

O Vasco sempre foi um clube conhecido por ser pioneiro e engajado nas lutas pelas minorias, como no caso do racismo. Mas a relação do clube com as mulheres não é de grande conhecimento dos torcedores. Na partida deste sábado – Dia Internacional da Mulher – contra o Bonsucesso, às 18h30, em São Januário, que terá transmissão em tempo real pelo LANCE!Net, este laço histórico será relembrado.

Por conta disso, o Cruz-Maltino está fazendo uma promoção de meia-entrada (leia mais ao lado no serviço) para as vascaínas que forem assistir ao jogo desta noite na Colina. O vice-presidente de relações especializadas e responsável pelo Centro de Memória do clube, João Ernesto, explica que esta relação com as mulheres foi iniciada na década de 1920.

– O Vasco tem no seu DNA a liberdade democrática. E isso abarcou a mulher, quando na década de 20, a mulher era subalterna e o clube deu essa oportunidade dela se manifestar culturalmente, montando uma equipe de futebol feminino – explica João Ernesto.  

Aliás, a história da mulher no futebol brasileiro se confunde com a Vasco. Ao relembrar isso, um nome vem a mente: Dulce Rosalina. Torcedora símbolo do clube, ela, que se fosse viva teria completado 79 anos ontem, foi a primeira mulher a se tornar presidente de uma torcida organizada, em 1956, quando assumiu a Torcida Organizada do Vasco (TOV).

Conhecida como “Dama do Vasco”, ela chegou a deixar de trabalhar para não se privar do que dizia ser a maior alegria de sua vida: torcer para o Vasco nos estádios.

No jogo de hoje, Dulce Rosalina não poderá estar na estádio, mas ficará lá de cima olhando orgulhosa e torcendo para que este toque feminino reflita positivamente entre os jogadores em campo.  

A mais famosa história de Dulce Rosalina

Por amor ao Vasco:
Em 1968, em um caravana para um jogo do Vasco, em São Paulo, o ônibus de Dulce sofreu um grave acidente e ela teve fraturas na clavícula, no braço e afundamento de crânio. No entanto, Dulce não fez cirurgia, pois as cicatrizes, eram “provas de dedicação ao Vasco”.

Com a palavra:

Adilson Batista
Sobre a importância das mulheres em São Januário

Será importante a presença das mulheres no jogo de hoje. Vamos homenageá-las. Eu acho que seria saudável, louvável, gostoso... As mulheres são sempre bem-vindas nos estádios de futebol. O estádio fica mais bonito.

O nosso objetivo sempre foi o título. Mas, primeiramente, temos de conseguir a classificação e, depois, o confronto da semifinal. Vamos sempre por etapas.

A classificação antecipada já era para estar concretizada. Desperdiçamos alguns pontos onde fomos melhores que o adversário. É importante levar uma vantagem na frente, o intuito é terminar na melhor colocação possível.

Sempre fui otimista, mas sou bem realista também. Vejo futebol dentro de uma realidade. Estou vendo, analisando os confrontos e estou bem tranquilo. Será um jogo duro. O Bonsucesso tem um time bem organizado.
O objetivo do Vasco é a melhor colocação. Vamos ratificar nossa classificação e depois a gente vê o que acontece. Apenas após garantir a vaga pensaremos na semifinal.