icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/03/2014
17:30

O dia 17 de março de 2004 foi um dos mais especiais na carreira do ex-jogador Sávio. Naquele dia, ele entrou em campo pelo Zaragoza no estádio Montjuic, em Barcelona, para disputar numa partida única a final da Copa do Rei diante de um galáctico Real Madrid, que tinha nomes em campo como Roberto Carlos, Guti , Zidane, Figo, Beckham e Raúl.

Chegar a decisão já era um grande feito ao Zaragoza, principalmente porque eliminou alguns rivais fortes durante a competição, entre eles o Barcelona nas quartas-de-final e o Alavés nas semifinais. Mas a equipe comandada por Víctor Muñoz, focada na competição, deseja o título, mesmo com o amplo favoritismo da equipe madrilenha.

Fazendo valer o favoritismo o Real Madrid abriu o placar aos 24 minutos do primeiro tempo numa bela cobrança de falta de David Beckham. Mas, quatro minutos depois, Sávio entrou em cena. O camisa 10 do Zaragoza fez cruzamento perfeito achou Dani na área. O atacante mostrou oportunismo e concluiu sem chances para o goleiro Cesar.

-Naquele momento a torcida do Zaragoza foi importante. Levamos o gol e imediatamente eles começaram a cantar de uma forma incrível. O time se superou. - relembrou Sávio.

Embalado com o empate, o Zaragoza partiu para cima e buscou a virada ainda na etapa inicial. No entanto, no início do segundo tempo, o meio campo Cani foi expulso e deixou o Zaragoza em desvantagem numérica. Com um homem a mais em campo, o Real Madrid buscou o empate numa falta cobrada por Roberto Carlos e o 2 a 2 persistiu até o apito final.

Já na prorrogação as equipes ficaram em igualdade numérica após a expulsão de Guti. Na base da superação, o Zaragoza chegou ao gol da vitória e do título com o argentino Galletti. Uma conquista grandiosa para o Zaragoza e que até hoje está na memória de Sávio.

- Já se passaram 10 anos anos. O sentimento é de satisfação, alegria e acima de tudo de superação. Sem dúvida, foi o título mais difícil da minha carreira. Surpreendemos um time que era quase imbatível. Provamos que nada é impossível se estamos preparados. - exaltou o ex-jogador.

Por curiosidade, o título mais difícil na carreira de Sávio foi diante de um clube que ele marcou história durante seis temporadas, o Real Madrid.

- Eu entrei em campo não misturando os fatos. O Real Madrid representa muito para mim, porém, estava defendendo o Zaragoza e queria fazer história lá também. Aquele time treinado pelo Víctor Muñoz tinha um comprometimento muito grande além, claro, da qualidade dos atletas. - concluiu.