icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
08/12/2013
14:14

A Seleção Brasileira fez o que dela se esperava nos dois primeiros jogos do Mundial Feminino de Handebol. Contra a Argélia, triunfo folgado e sem grandes sustos. Contra a China, neste domingo, novamente na Arena Hala Cair, em Nis (SER), a equipe dirigida por Morten Soubak obteve a sua segunda vitória consecutiva: 34-21 ante as chinesas e 100% de aproveitamento no início do torneio.

A vitória deixa bem encaminhada a classificação verde e amarela para as oitavas finais do Mundial. Com duas vitórias, dificilmente o time verde e amarelo não será um dos quatro mais bem posicionados ao término dos cinco jogos que cada time fará pelo Grupo B.

A manutenção de uma boa campanha é importante, já que o cruzamento na próxima fase será contra os melhores times do Grupo A, que conta com equipes como Montenegro - vice-campeão olímpico -, França, vice-campeã mundial, e a Coreia do Sul, atual campeã asiática.

O JOGO

Com um estilo de jogo muito rápido, o que é caraterístico das equipes asiáticas, a China complicou a vida brasileira no início do duelo. As rivais comandaram o marcador e deixaram o Brasil pela primeira vez atrás no placar neste Mundial.

No entanto, Alexandra Nascimento - eleita a melhor jogadora de handebol do planeta em 2012 -, foi o grande desafogo brasileiro. Ela foi a responsável pelos três dos quatro primeiros gols do país na partida, que deixaram o marcador em 4 a 3.

À frente, o Brasil enfim conseguiu colocar o seu estilo de jogo. Além de Alê, que marcou sete gols no primeiro tempo, a outra ponteira brasileira também começou a desequilibrar. Fernanda - eleita a melhor da partida de estreia ante a Argélia - foi a autora de cinco gols nos primeiros 30 minutos. A equipe durante quase toda a primeira etapa foi idêntica à que começou jogando contra a Argélia,  exceção da goleira Mayssa, que iniciou no lugar de Bárbara.

Fernanda outra vez foi um dos destaques do time brasileiro (Crédito: Cinara Piccolo/Photo&Grafia)

Para o segundo tempo, o Brasil voltou com um nível de concentração mais baixo. As chinesas se aproveitaram. Se ao fim dos primeiros 30 minutos o placar marcava 19 a 12 para as brasileiras, com quatro minutos do segundo a vantagem já havia sido reduzida para 19 a 15. Morten Soubak foi obrigado a parar o jogo.

A equipe só desencantou com seis minutos do segundo tempo, com um gol de Deonise Cavaleiro. Deste momento em diante, o elenco voltou a deslanchar, mesmo com as constantes alterações do treinador, que só não colocou Karol em quadra neste domingo. Um gol de Ana Paula trouxe a diferença para 12 gols (30 a 18  para o Brasil).

Com a vitória brasileira já selada, a partida se tornou um pouco menos taticamente trabalhada, com os dois times apostando em contra-ataques rápidos. Fim de jogo, 34-21 para o time verde e amarelo.

A Seleção agora terá um dia de descanso antes de voltar à quadra. Após a vitória deste domingo sobre a China, o Brasil só volta à quadra na terça-feira, quando fará um jogo-chave para as pretensões nacionais na fase de grupos. O duelo será às 15h (de Brasília), contra as donas da casa, da Sérvia, também consideradas uma das favoritas à ponta do Grupo B. A chave ainda conta com Dinamarca, Argélia e Japão.