icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão
20/07/2013
17:50

A situação de Samuel no Fluminense deve ser resolvida nesta segunda-feira. O empresário do jogador, Gérson Oldenburg, que se reuniu com a diretoria tricolor na última quarta-feira e apresentou uma proposta do Espanyol (ESP). Segundo o LANCE!Net apurou, a porsta giraria em torno de , de R$ 11 milhões. O agente irá retornar às Laranjeiras para ter uma nova conversa com o diretor executivo do Flu, Rodrigo Caetano. A tendência é que o dirigente dê a resposta se o clube vai liberar o atacante nesta janela de transferências ou se só aceita negociá-lo em dezembro.

Os valores apresentados agradaram a diretoria do Fluminense, que ficaria com cerca de R$ 5,5 milhões, já que detém 50% dos direitos econômicos. Contudo, o problema do Flu é a falta de opções no elenco para repor a saída do camisa 31. Em crise financeira, uma contratação para a vaga de Samuel, caso negociado, foi descartada, por ora.

O que pode atrapalhar também a negociação é a pressa do Espanyol por uma resposta da diretoria do Fluminense. Olheiros que vieram à América do Sul, analisaram cerca de cinco nome e o de Samuel foi o que mais agradou. Contudo, caso o Flu recue e não aceite negociar o atacante, os catalães já teriam outro nome na mira. Por isso, o Espanyol pediu para o negócio ser concretizado até o iníco desta semana e o empresário do atacante, que deixaria o Rio de Janeiro neste sábado, ficará até segunda-feira para conversar com o Fluminense. A diretoria tricolor pediu um prazo a mais devido ao clássico de domingo com o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro, no qual Samuel está relacionado pelo técnico Abel Braga.


O treinador, inclusive, já se manifestou contra a saída do atacante, já que considera Samuel uma das peças importantes do elenco. O medo do Fluminense esbarra nas consecutivas convocações do atacante Fred, que pode desfalcar a equipe em muitas oportunidades no decorrer do Campeonato Brasileiro, caso seja solicitado por Luiz Felipe Scolari.

O empresário do jogador explicou a situação e se mostrou otimista em relação a escolha do Fluminense:

- Vou me reunir mais uma vez com o Fluminense na segunda-feira para ver se já tem alguma definição da situação do Samuel. É aquele negócio, quem está contratando não pode esperar muito. A proposta está nas mãos do clube e estamos aguardando. Estamos respeitando também, porque o Fluminense tem um jogo importante contra o Vasco no domingo. Não vamos forçar nada. Se o clube optar por não liberar o Samuel, o jogador seguirá feliz no clube. Estamos confiantes com o desfecho - afirmou Gérson Oldenburg.

Já o diretor executivo do clube, Rodrigo Caetano, segue cauteloso em relação à negociação e garantiu que quando for resolvido o clube anunciará oficialmente.

- Estamos analisando a situação. Seguimos sem novidades. Quando algo for decidido, será passado oficialmente - disse.

O que pode pesar à favor do negócio é a vontade de Samuel de atuar no futebol europeu. O atacante vê a Espanha como um dos melhores mercados para ganhar destaque no Velho Continente. Se concretizado o acerto, além dos R$ 5,5 milhões que o Flu receberá, os investidores do jogadores, donos de 20% dos direitos econômicos, ficariam com cerca de R$ 2,25 milhões e a Unimed Participações - dona de 10% - ficará com R$ 1 milhão eo São José, do Rio Grande do Sul, também ficaria com cerca de R$ 2,25 milhões, já que também possui 20% do atleta.



A situação de Samuel no Fluminense deve ser resolvida nesta segunda-feira. O empresário do jogador, Gérson Oldenburg, que se reuniu com a diretoria tricolor na última quarta-feira e apresentou uma proposta do Espanyol (ESP). Segundo o LANCE!Net apurou, a porsta giraria em torno de , de R$ 11 milhões. O agente irá retornar às Laranjeiras para ter uma nova conversa com o diretor executivo do Flu, Rodrigo Caetano. A tendência é que o dirigente dê a resposta se o clube vai liberar o atacante nesta janela de transferências ou se só aceita negociá-lo em dezembro.

Os valores apresentados agradaram a diretoria do Fluminense, que ficaria com cerca de R$ 5,5 milhões, já que detém 50% dos direitos econômicos. Contudo, o problema do Flu é a falta de opções no elenco para repor a saída do camisa 31. Em crise financeira, uma contratação para a vaga de Samuel, caso negociado, foi descartada, por ora.

O que pode atrapalhar também a negociação é a pressa do Espanyol por uma resposta da diretoria do Fluminense. Olheiros que vieram à América do Sul, analisaram cerca de cinco nome e o de Samuel foi o que mais agradou. Contudo, caso o Flu recue e não aceite negociar o atacante, os catalães já teriam outro nome na mira. Por isso, o Espanyol pediu para o negócio ser concretizado até o iníco desta semana e o empresário do atacante, que deixaria o Rio de Janeiro neste sábado, ficará até segunda-feira para conversar com o Fluminense. A diretoria tricolor pediu um prazo a mais devido ao clássico de domingo com o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro, no qual Samuel está relacionado pelo técnico Abel Braga.


O treinador, inclusive, já se manifestou contra a saída do atacante, já que considera Samuel uma das peças importantes do elenco. O medo do Fluminense esbarra nas consecutivas convocações do atacante Fred, que pode desfalcar a equipe em muitas oportunidades no decorrer do Campeonato Brasileiro, caso seja solicitado por Luiz Felipe Scolari.

O empresário do jogador explicou a situação e se mostrou otimista em relação a escolha do Fluminense:

- Vou me reunir mais uma vez com o Fluminense na segunda-feira para ver se já tem alguma definição da situação do Samuel. É aquele negócio, quem está contratando não pode esperar muito. A proposta está nas mãos do clube e estamos aguardando. Estamos respeitando também, porque o Fluminense tem um jogo importante contra o Vasco no domingo. Não vamos forçar nada. Se o clube optar por não liberar o Samuel, o jogador seguirá feliz no clube. Estamos confiantes com o desfecho - afirmou Gérson Oldenburg.

Já o diretor executivo do clube, Rodrigo Caetano, segue cauteloso em relação à negociação e garantiu que quando for resolvido o clube anunciará oficialmente.

- Estamos analisando a situação. Seguimos sem novidades. Quando algo for decidido, será passado oficialmente - disse.

O que pode pesar à favor do negócio é a vontade de Samuel de atuar no futebol europeu. O atacante vê a Espanha como um dos melhores mercados para ganhar destaque no Velho Continente. Se concretizado o acerto, além dos R$ 5,5 milhões que o Flu receberá, os investidores do jogadores, donos de 20% dos direitos econômicos, ficariam com cerca de R$ 2,25 milhões e a Unimed Participações - dona de 10% - ficará com R$ 1 milhão eo São José, do Rio Grande do Sul, também ficaria com cerca de R$ 2,25 milhões, já que também possui 20% do atleta.